Fale Conosco

11 de setembro de 2009

Maternidade Frei Damião recebe doações para trigêmeos



A Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, realiza uma média de 300 partos, por mês. No último dia 21, nasceram no hospital os trigêmeos Fábio, Fabiano e Fabrício de Souza. Com menos de dois quilos, os bebês estão internados na enfermaria de cuidados especiais do Projeto Mãe Canguru.

A mãe, a dona-de-casa Maria das Neves de Souza, 37 anos, tem mais seis filhos e sua única renda fixa é R$ 120 do Bolsa Família. Por isso, os bebês não tiveram um enxoval. Uma equipe de profissionais da maternidade se sensibilizou e começou uma campanha para arrecadar fraldas descartáveis e roupas para as crianças.

Os bebês estão sob os cuidados da mãe e de uma equipe formada por médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, pediatras, assistentes sociais e psicólogas. Eles precisam ganhar peso para poder receber alta. Os bebês serão beneficiados por um programa social do Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente (Cendac), que distribui enxovais a recém-nascidos de famílias pobres, mas ainda vão precisar de doações para complementar o kit.

As doações devem ser entregues no Serviço Social da maternidade, que fica na Avenida Cruz das Armas. A responsável pela ação é a coordenadora de Enfermagem da Frei Damião, Walquíria Costa.

Fabrício foi o primeiro a nascer, pesando 1.590 kg. Em seguida, veio Fabiano, com 1.370 kg. O último a vir ao mundo – Fábio – nasceu com apenas 1.135 kg. Maria das Neves, que já tinha seis filhos, só ficou sabendo que ia ter três bebês no dia do parto. “A ultrassonografia só mostrava dois, mas não me aperreei quando soube que eram três. Estou feliz”, disse. Ela mora no bairro de Cruz das Armas, na Capital.

A Frei Damião possui uma UTI neonatal com seis leitos e, nos próximos dois meses, deve ganhar um berçário de cuidados especiais – com cinco leitos – e uma UTI materna. O serviço também conta com um laboratório de análises clínicas, um posto de coleta de leite humano, e oferece os testes do pezinho e da orelhinha, que detectam doenças nos recém-nascidos.

Os bebês prematuros são tratados pelo método Mãe Canguru, um tipo de assistência neonatal, na qual o recém-nascido com baixo peso fica em contato com a pele da mãe, ‘amarrado’ numa espécie de bolsa. A maternidade também possui o Projeto Nascer, que tem o objetivo de evitar a transmissão do vírus HIV da mãe para o filho durante a gestação.  

No Centro de Diagnóstico do Câncer – outro serviço oferecido – são realizados exames citológicos e colposcopia. As mulheres que não pretendem mais ter filhos são atendidas pelo programa de laqueadura tubária. Para ter acesso ao serviço, é necessário ter, no mínimo, dois filhos e 25 anos de idade. A Frei Damião realiza, ainda, ultrassonografias e curetagem em casos de aborto espontâneo.

 

Assessoria de Imprensa da SES-PB, com fotos de Fabiana Veloso