Fale Conosco

29 de maio de 2017

Maternidade Frei Damião disponibiliza serviço de pré-natal para gravidez de alto risco



As gestantes com hipertensão arterial, doenças reumáticas, cardiopatias, diabetes, além de outras doenças que possam ocasionar uma gravidez de alto risco, podem contar com o serviço de pré-natal especializado, que é ofertado pela Maternidade Frei Damião. O encaminhamento ao serviço é realizado pela Unidade de Saúde da Família (USF), de acordo com o bairro em João Pessoa ou o município que a gestante reside.

“O nosso objetivo no atendimento ambulatorial de alto risco é buscar conduzir toda a gestação da mulher que se encontra com alguma das patologias elencadas para acompanhamento especializado, da melhor forma possível e, assim, diminuir e até eliminar a mortalidade e morbidade materna e fetal, tentando, o máximo, conduzir a gestação a termo, evitando o risco da prematuridade”, destacou a diretora geral da Maternidade Frei Damião, Ana Márcia Fernandes.

O serviço é referência para 32 Unidades de Saúde da Família, entre elas, as do Bairro das Indústrias I, II, III e IV, Cidade Verde I e II, Cruz das Armas I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX e X, Funcionários I – 1ª etapa, Funcionários I – 2ª etapa, Funcionários II, Jardim Planalto I e II, Jardim Veneza I, II, III e IV, Jardim Saúde V, Bairro dos Novais I, II, III, IV e V, além do Sitio Mumbaba. Além dessas unidades, o serviço também atende os municípios da 1ª Região, sendo Alhandra, Conde, Mari, Santa Rita, Sapé, Sobrado, da 2ª Região de Saúde, que são Araruna, Bananeiras, Belém, Borborema, Mulungu, Piloezinhos, Pirpirituba, Serraria e Tacima, da 12ª Região de Saúde, sendo Salgado de São Félix, Mogeiro, Itabaiana e Caldas Brandão e da 14ª Região de Saúde, entre eles Baia da Traição, Curral de Cima, Mamanguape e Pedro Regis.

Para ser atendida no local, a paciente deve apresentar o encaminhamento, onde consta o motivo da inserção no pré-natal de alto risco, além do documento com a marcação da consulta, que é realizado pelos reguladores da USF, caderneta de gestante, cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e todos os exames realizados no primeiro trimestre da gravidez, para avaliação médica e realização do cadastro da gestante. Ao final da consulta, o médico responsável pelo atendimento faz o agendamento da próxima avaliação.

“O propósito é acolher as gestantes e garantir uma assistência especializada e de qualidade, de forma individualizada, visando à saúde materno fetal em todo o período gestacional, além de reduzir e minimizar os riscos de um resultado desfavorável para a mãe ou o bebê. O acompanhamento possibilita uma maior segurança para mãe e filho”, ressaltou a coordenadora do pré-natal de alto risco da Maternidade Frei Damião,Danielle de Araújo Martins.

No local são disponibilizadas as especialidades médicas em obstetrícia, endocrinologia e cardiologia. Entre os exames realizados gratuitamente estão os laboratoriais, a exemplo do hemograma, sumário, cultura de urina, HIV, glicemia de jejum, hepatite B e C, TGP, TGO, bilirrubina direta e indireta, toxoplasmose (IGG e IGM), ASLO, citomegalovírus (IGG e IGM), VDRL e USG obstétrica e morfológica. Além da ultrassonografia obstétrica com doppler e cardiotocografia.

 

A agricultora de Itabaiana, Aliete Teresa Freire da Silva, está no oitavo mês de gravidez, sendo essa a segunda gestação de alto risco que enfrenta, devido ao problema de hipertensão arterial que tem. É uma das pacientes encaminhadas pela Unidade de Saúde da Família (USF) para fazer acompanhamento no ambulatório da Maternidade Frei Damião e declara com motivação que o acompanhamento adequado no local dá mais segurança antes e durante o parto.

 

“Sou muito bem acolhida aqui, recebo todas as orientações sobre as medicações que devo tomar, realizo exames importantes, e isso é muito importante, porque contribui tanto para a saúde do meu filho, como para a minha também, além de me deixar mais tranquila e confiante durante toda a minha gestação”, declarou.

 

A médica obstétrica da Maternidade Frei Damião, Maria José Ferreira de Oliveira, explica que é considerada uma gestação de alto risco toda mulher portadora de alguma patologia, que pode ser desenvolvida antes ou durante a gravidez, e que geralmente está enquadrada nos conceitos das escalas sócio-financeira, ginecológica ou obstétrica, que altere o pré-natal.

 

“A paciente de alto risco é toda aquela que foge das regras, a exemplo da idade gestacional ideal, que é de 15 a 35 anos, ou seja, abaixo de 15 e acima de 35 anos é considerado gravidez de alto risco, além disso são fatores de risco a dependência química, a diabetes, a obesidade, a trombofilia, a neoplasia e doenças sexualmente transmissíveis”, informou.

 

Cuidados – A médica Maria José orienta que as mulheres que desejam engravidar e querem prevenir o alto risco e assim ter uma gravidez tranquila devem adotar algumas medidas importantes, antes e durante a gestação, a exemplo de fazer uma avaliação médica, reduzir o peso em caso de obesidade, ter uma alimentação saudável, fazer atividade física, comparecer a todas as consultas do pré-natal, além de realizar todos os exames de laboratório solicitados e usar corretamente os medicamentos orientados pelo médico.

 

“No caso da gestante de alto risco, devem comparecer a todas as consultas acompanhadas e a não realização do pré-natal, pode ocasionar o óbito fetal e materno”, alertou.

 

Serviço – O ambulatório de acompanhamento de pré-natal de alto risco realiza uma média de 15 atendimentos por dia. São mulheres de vários bairros da capital e cidades do interior do estado.

O serviço dispõe de uma equipe composta por quatro obstetras, um cardiologista, duas enfermeiras e três técnicas de enfermagem.

 

O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h30, no ambulatório da Maternidade Frei Damião, localizada no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa.

 

Balanço - Em 2016, o serviço realizou 2.929 atendimentos. Este ano, já foram avaliadas aproximadamente 700 gestantes.

A população pode obter mais informações sobre o serviço pelo telefone: (83) 3215-6021.