João Pessoa
Feed de Notícias

Mariene de Castro e Sandra Belê fazem show no Novembro Negro

terça-feira, 18 de novembro de 2014 - 15:09 - Fotos: 

A cantora Mariene de Castro se apresenta nesta quarta-feira (19), na Praça do Povo do Espaço Cultural José Lins do Rego. O show, que será aberto pela paraibana Sandra Belê, integra a programação do Novembro Negro na Paraíba, em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra.

O evento é uma realização do Governo do Estado, através da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana, Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) e Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). As atividades são gratuitas e envolvem shows, feiras culturais, debates, exibição de filmes e ações em comunidades quilombolas.

Mariene de Castro – A baiana, que cantava na adolescência no grupo Timbalada com Carlinhos Brown, chega na Paraíba com uma carreira de sucesso. Com o quinto álbum intitulado “Colheita”, a sambista vai cantar músicas de seu novo repertório, além de canções do CD “Ser de Luz”, em que resgata clássicos na voz de Clara Nunes, como “Ê Baiana”, “Conto de Areia” e “A Deusa Dos Orixás”.

Em “Colheita”, a baiana interpreta música homônima de Nelson Rufino, em dueto com Zeca Pagodinho, além de canções como “A força que vem da raiz”, que tem participação de Maria Bethânia.

Também nesta quarta-feira, Mariene de Castro participará de uma roda de diálogo sobre a Resistência da Cultura Negra, na Escola de Música Anthenor Navarro. “Será um grande momento na Paraíba para discutirmos, durante o Novembro Negro, as questões raciais, os processos de resistências, avanços e dificuldades. Além disso, vamos celebrar com Mariene de Castro este momento”, disse a secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Soares.

Sandra Belê – A cantora e compositora Sandra Belê adotou este nome artístico por ter nascido na cidade de Belê, no interior da Paraíba. Seu repertório é construído com base nas memórias de infância e adolescência permeadas pelas cantigas do reisado, a voz do aboiador, o som do carro de boi, os banhos de açude, o som da sanfona do pai e o entrelaçar de linhas de sua mãe.

Depois de três acústicos, a paraibana Sandra Belê experimenta uma aproximação com a música eletrônica em seu novo trabalho. Entre os anos de 2004 e 2005, ela gravou o CD “Nordeste Valente”, o primeiro de sua carreira. Um ano depois, estava na cidade de Taperoá (PB), onde participou como atriz-cantora das gravações da microssérie global A Pedra do Reino, do escritor Ariano Suassuna. Com o CD “Nordeste Valente”, ela participou da coletânea de músicas da Pedra do Reino, organizada pela Som Livre, e da coletânea do Projeto Esquina Brasil, organizada pelo Sebrae, entre outros.

Em 2009, lançou o CD intitulado “Se incomode não”, que apresenta o universo romântico do povo nordestino com canções de Luiz Gonzaga, Alcimar Monteiro, Trio Nordestino, Marinês, Gordurinha, Três do Nordeste, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro e de novos compositores nordestinos como Marrom Brasileiro, Ranjel Júnior, Carlos Zens, Ilmar Cavalcante, Antônio Costa, Xico Bezerra e muitos outros. O álbum seguinte veio em 2010, intitulado “Encarnadoazul”.

Novembro Negro A comemoração de 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra surgiu na segunda metade dos anos 1970, no contexto das lutas dos movimentos sociais contra o racismo. O dia homenageia Zumbi, símbolo da resistência negra no Brasil, morto em uma emboscada no dia 20 de novembro de 1695, após sucessivos ataques ao Quilombo de Palmares, em Alagoas. Desde 1995, Zumbi faz parte do panteão de Heróis da Pátria.

A abertura oficial do Novembro Negro na Paraíba aconteceu na última sexta-feira (14) com show do projeto Berimbaobab, que reuniu o grupo senegalês de afrojazz Toll Bi e os artistas paraibanos Adeildo Vieira, Soraia Bandeira, Erivan Araújo, Glaucia Lima e coletivo Tribo Éthnos.