João Pessoa
Feed de Notícias

Maranhão participa das homenagens aos 120 anos do Teatro Santa Roza

sábado, 28 de novembro de 2009 - 12:05 - Fotos: 

O governador José Maranhão, acompanhado da primeira dama desembargadora Fátima Bezerra e do vice-governador Luciano Cartaxo, participou na noite desta sexta-feira (27) da solenidade de encerramento da programação comemorativa aos 120 anos do Teatro Santa Roza, em João Pessoa. Também foram homenageadas as personalidades que se destacaram na área cultural paraibana.

O evento, realizado pelo Governo do Estado através da Fundação Espaço Cultural (Funesc), prestou uma homenagem entregando uma Menção Honrosa aos artistas paraibanos Tarcísio Pereira (teatro), José Enoch (dança) e Radegundes Feitosa (música). A homenagem foi instituída pelo Conselho Estadual de Cultura. Em seguida, os presentes assistiram ao show do músico pernambucano Antônio Nóbrega.

Maranhão ressaltou a importância do Teatro Santa Roza para os diversos segmentos culturais e da homenagem aos artistas paraibanos.  Também, anunciou que o Governo do Estado está realizando parcerias para aprovar projetos na área cultural. “O povo da Paraíba tem um apreço muito grande à cultura e suas tradições culturais. Por isso, estamos trabalhando em parceria com o Governo Federal para aprovação de projetos na área da cultura, alguns estão em fase de aprovação no Ministério da Cultura”, comentou.

O secretário de Educação e Cultura, Sales Gaudêncio, anunciou mais investimento na área de cultura, entre eles um convênio que será celebrado para restauração do Teatro Severino Cabral, em Campina Grande. “Uma parceria do Governo do Estado com a prefeitura para restauração do teatro no valor de R$ 800 mil. Também vamos retomar as publicações da Coleção Paraibana e da Revista Cultural. Já no dias 14 e 15 de dezembro será realizada a Conferência Estadual de Cultura da Paraíba”, informou.    

A jornalista e escritora Fátima Araújo, autora da obra “Santa Rosa: Um Teatro de 120 anos (1889-2009)”, entregou ao governador José Maranhão um exemplar de sua obra. “O livro foi um convite de Mauricio Burity que aceitei com prazer. Esse teatro é uma das minhas paixões e acompanho durante todos esses anos o progresso das artes cênicas na Paraíba através dos eventos realizadas neste local. O Santa Roza tem uma missão cultural, social e política muito grande”, concluiu.

O presidente da Funesc, Mauricio Burity, ressaltou a importância do teatro como ícone da cultura no Estado. “O Teatro Santa Roza é o mais antigo da Paraíba e o quinto do Brasil. Nesse espaço de cultura já passaram milhares de artistas de renome nacional e internacional. Preservar esse espaço é manter viva a história da Paraíba”, concluiu.

História do Teatro Santa Roza – Inaugurado no dia 3 de novembro de 1889, pelo governador da Paraíba, Francisco da Gama Rosa. Com a Proclamação da Republica perdeu seu mandato 12 dias após inaugurar o teatro. Ao assumir o primeiro governante republicano, Venâncio Neiva mudou o nome para “Teatro do Estado”, mas o ato foi revogado e o nome Teatro Santa Roza mantido. Construído no estilo arquitetônico neo clássico, com influência greco-romana e revestimento interno em madeira do tipo Pinho de Riga, comportando 412 assentos. Passou por reformas, mas sua estrutura física não foi alterada.

As comemorações, realizadas pela Funesc, começaram no dia 3 deste mês, data da fundação da casa de espetáculo, e prosseguem até este sábado (28), encerrando com a XV Mostra Estadual de Teatro e Dança da Paraíba, que nesta edição presta uma homenagem ao Teatro Santa Roza.

Programação deste sábado:

A última noite da 15ª Mostra Estadual de Teatro e Dança tem apresentação de quatro espetáculos de João Pessoa, debate, entrega dos prêmios e show de encerramento com a banda paraibana ‘Samba Trem das Onze'. Neste sábado (28), ainda serão realizadas duas mesas redondas: às 14h, sobre direitos autorais, que terá Guilherme Amaral (SP), da Associação Brasileira de Música e Artes (ABRAMUS), como conferencista, e Diógenes Maciel, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), como mediador; e às 16h, sobre a construção e fortalecimento dos fóruns, com a bailarina Ângela Navarro e Vant, da Tribo Ethnos, e os atores Buda Lira, Fernando Teixeira e Márcio Marciano.

As apresentações desta última noite do evento começam com ‘Entre Quatro Paredes', espetáculo para 40 pessoas com idade acima de 16 anos, que será encenado nos corredores dos camarins do Santa Roza. Em seguida, no palco do teatro, será apresentado o espetáculo ‘Reflexo', do Grupo Cenário da Dança, que traz em suas coreografias um olhar acerca do viver e suas consequências. Do desconforto do ser o que acham que devemos ser. A direção é de Isabela Aranha. Depois, será a vez de dois espetáculos da Paralelo Cia de Dança dirigidos por Joyce Barbosa: ‘Anima Sola' e ‘Pulsação'. O espetáculo ‘O Circo da Natureza', de autoria de Marco Camarotti e direção de Sandra Barbosa, será encenado no palco do Bar dos Artistas.

Haverá ainda debates sobre os espetáculos da noite e a entrega da premiação aos espetáculos vencedores, escolhidos por júri popular. Três espetáculos de teatro e três de dança receberam prêmios em dinheiro: o 1º lugar, R$ 3 mil; o 2º, R$ 2 mil, e o 3º, R$ 1 mil.

A noite de encerramento da Mostra de Teatro e Dança termina com um show da banda paraibana ‘Samba Trem das Onze', que conta no seu repertório com músicas de Noel Rosa, João Nogueira, Gilberto Pereira, Paulinho da Viola e Bezerra da Silva, dentre tantos outros mestres do samba.

Gledjane Maciel, com fotos de Mano de Carvalho, da Secom