João Pessoa
Feed de Notícias

Maranhão inaugura Trauma de CG e reforma da Maternidade de Patos

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010 - 15:26 - Fotos: 

O governador da Paraíba, José Maranhão, inaugura, nesta terça-feira (21), o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande e as obras de ampliação e reforma da Maternidade Peregrino Filho, em Patos. Com estes, serão seis hospitais com obra concluída e entregues nesta gestão. O Trauma será referência para 1,9 milhão de paraibanos e a maternidade se transforma em um centro da saúde da mulher. No hospital de Campina, foram investidos quase R$ 100 milhões, incluindo obra e equipamentos. A agenda da saúde começa em Patos, às 10h. Em Campina Grande, a inauguração está marcada para as 16h.

O Trauma de Campina Grande vai beneficiar a população de 158 municípios, do Agreste ao Sertão, que hoje dependem de atendimento no Hospital Regional da cidade ou são transferidas para o Trauma de João Pessoa. O prédio do novo hospital foi construído em uma área de 72.996,00 metros quadrados e tem 22.071,05 metros quadrados distribuídos em três pavimentos. Em tamanho, a unidade é o dobro do Trauma de João Pessoa.

Estrutura – Serão 242 leitos distribuídos nas UTIs (adulto, infantil e de queimados), 180 nas enfermarias, 26 de observação (na urgência e emergência) e seis de isolamento. O hospital oferecerá atendimento especializado nas áreas de clínica médica, cirúrgica, ortopédica e traumatológica, além de oftalmologia, otorrinolaringologia, neurologia e buco-maxilo-facial. Todos os equipamentos são de última geração para oferecer um serviço de excelência à população. Para equipar todos os setores, foram gastos cerca de R$ 55 milhões.

O hospital terá um centro cirúrgico (com seis salas), UTIs, emergência e urgência, enfermarias, centro de imagem, laboratório, heliponto, estacionamento com 516 vagas, auditório e setor administrativo, entre outros. Todos os setores são climatizados com um sistema de ar-condicionado central, inclusive nas áreas críticas (UTI e centro cirúrgico), com filtro de pressão absoluta que retém micropartículas, evitando contaminação do ambiente.

Maternidade – Já na Maternidade Peregrino Filho, o governo está inaugurando o bloco de enfermarias; as unidades de terapia intensiva materna (seis leitos) e infantil (10 leitos); a unidade de cuidados intermediários – UCI (10 leitos); centro cirúrgico e obstétrico; farmácia; almoxarifado; serviço de nutrição e dietética; central de material esterilizado e laboratórios.  Com a ampliação e os novos serviços (principalmente das UTIs) a maternidade passará a ser centro de referência da saúde da mulher, no Sertão do Estado. Com isso, as grávidas de alto risco não precisarão mais buscar atendimento em João Pessoa ou Campina Grande. O mesmo cuidado especial será dado aos bebês, que contarão com a UTI neonatal e a UCI.

A reforma e ampliação da maternidade foi iniciada no segundo governo de Maranhão, mas não teve continuidade na gestão seguinte. A maioria dos equipamentos já foi entregue. A previsão total de gastos é de R$ 14,9 milhões, na obra e em equipamentos. A maternidade, que funciona com 47, passará a ter 107 leitos (60 a mais), incluindo os de UTI.

Obras retomadas – Em menos de dois anos, o Governo do Estado retomou 15 obras de hospitais que estavam abandonadas (iniciadas entre 2001 e 2002) e deu continuidade à construção do Trauma de Campina Grande. O investimento total ultrapassa os R$ 200 milhões. Foram entregues nesta gestão as obras dos hospitais Clementino Fraga, em João Pessoa (reforma e ampliação), Itabaiana, Queimadas e Itapororoca. Deve ser entregue ainda nesta gestão, o Hospital de Belém do Brejo do Cruz.

Assessoria de Imprensa da SES/PB