Fale Conosco

7 de julho de 2009

Maranhão fala do encontro dos governadores e da importância da aprovação do empréstimo do BNDES



“Um compromisso com o desenvolvimento dos Estados nordestinos, e em particular com a Paraíba”. Assim o governador José Maranhão definiu o Fórum de Governadores Nordestinos que será realizado nesta sexta-feira (10), em João Pessoa.

Nesta terça-feira (7), em seu programa semanal ‘Palavra do Governador’, Maranhâo disse que todos os governadores já confirmaram a presença, inclusive os de Minas Gerais e Espírito Santo que integram área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).
 
Maranhão falou da importância do empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) para dar andamento ao projeto de reconstrução da Paraíba. Lembrou que no último Fórum dos Governadores, realizado na cidade de Natal, o assunto discutido foi o empréstimo do BNDES que os Estados teriam que aprovar nas assembléias legislativas.

 “A Paraíba foi o único Estado que até agora não teve seu empréstimo aprovado entre os Estados nordestinos. O Estado teve uma perda de arrecadação de janeiro a junho de R$ 323 milhões na receita. Uma situação desconfortável, inclusive, no mês de julho, quando vai atingir o ápice da crise. Nós temos um desequilíbrio entre receita e despesa da ordem de R$ 94 milhões, que vão faltar para completar as contas e os pagamentos”, ressaltou.

Para tentar minimizar a crise na Paraíba e nos demais Estados, o Ministério da Fazenda concedeu a liberação do empréstimo que para a Paraíba é de R$ 191 milhões. Segundo Maranhão esta foi maneira de tentar compensar e amenizar a crise que os estados atravessam, dando governabilidade e equilíbrio entre as receitas e as despesas.

“O empréstimo não vai trazer impacto de natureza política, simplesmente, ele vai garantir a governabilidade e compensar as perdas que o Estado já teve. Tanto assim que o empréstimo foi iniciativa do próprio governo federal”, acrescentou.

O governador detalhou onde serão aplicados os recursos oriundos do empréstimo do BNDES, que vão garantir investimentos nas áreas de saúde e educação, e proporcionar o desenvolvimento sustentável do Estado. Serão retomadas as obras dos 31 hospitais que ficaram paralisadas. O dinheiro também vai dar andamento ao programa para construção de 19 escolas na Paraíba, que serão dotadas de equipamentos e material pedagógico de qualidade. Outras 45 escolas serão recuperadas e os 70 ginásios de esportes, cujas obras foram paralisadas, serão concluídos. Além dos 10 sistemas de abastecimentos de água em todo o Estado e de outros projetos nas áreas de irrigação, agricultura e pecuária que dependem de recursos públicos para serem executados. “Essas obras e ações beneficiam todo o Estado, não tem um município fora desse programa de governo”, concluiu.

Maranhão ressaltou o apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que após encontro com o secretário de Finanças, Marcos Ubiratan, decidiu apoiar a aprovação do empréstimo para garantir a execução das obras na Paraíba.

Gledjane Maciel, da Secom