João Pessoa
Feed de Notícias

Maranhão comparece a velório do desembargador Geraldo Ferreira Leite

quarta-feira, 23 de setembro de 2009 - 18:24 - Fotos: 

O governador José Maranhão, ao desembarcar de Brasília no final da tarde desta quarta-feira (23), em João Pessoa, se deslocou ao velório do cunhado, o desembargador aposentado Geraldo Ferreira Leite, que faleceu  na manhã desta quarta. O corpo está sendo velado na Central de Velórios “Morada da Paz”, localizado na avenida João Machado e o sepultamento está marcado para às 9h desta quinta-feira (24), no Cemitério Senhor da Boa Sentença, na capital.

Em entrevista no velório, o governador José Maranhão afirmou: “Acho que o mundo jurídico teve uma grande perda com o falecimento do desembargador Geraldo Ferreira Leite. Profundo conhecedor do Direito Constitucional e do Direito Civil, Geraldo Leite vai fazer muita falta no cenário jurídico da Paraíba”, revelou Maranhão. O vice-governador Luciano Cartaxo, também compareceu ao velório.

O filho, médico Mirabeau Maranhão, emocionado, definiu que seu pai era uma pessoa muito querida. “Um pai afetuoso e realmente um pai com letra maiúscula. Nos deu educação, a mim e meus dois irmãos e era um exemplo de profissional de direito durante toda sua vida, conforme depoimentos que pude ouvir aqui.

O desembargador aposentado Geraldo Ferreira Leite, tinha 82 anos, faleceu de infarto fulminante na manhã desta quarta-feira (23), em sua residência, na Praia de Cabo Branco. Casado com Carmésia Maranhão, irmã do governador José Maranhão, deixa três filhos: Magna, Mirabeau Maranhão (médico em Campina) e Marcone.

Antes de se tornar desembargador do Tribunal de Justiça, o qual presidiu no biênio de 1975/76, também presidiu o Tribunal Regional Eleitoral, ocupou as Comarcas nas cidades de Araruna, Cajazeiras, Esperança, Picui, Campina Grande e depois em João Pessoa. No Governo Maranhão I Geraldo Ferreira Leite foi Procurador Geral do Estado.

Foi ainda presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba, no período de 1973 a 1976, sendo condecorado com a Ordem do Mérito Judiciário, por ocasião dos 116 anos de fundação do Tribunal de Justiça da Paraíba, em outubro de 2007.

Dezenas de familiares, amigos, políticos, magistrados, compareceram ao velório na Central de Velórios “Morada da Paz”.

Amigos e autoridades lamentam morte do desembargador

Para o secretário da Cidadania e Administração Penitenciária, Roosevelt Vita, Geraldo Ferreira Leite era de fato um cidadão. Viveu a plenitude da cidadania como juiz de Direito, professor universitário, como procurador geral do Estado, desembargador, era um fino cavalheiro. Era uma pessoa de fino trato e de uma grandeza de espírito exemplar. Era uma alma conciliatória sem deixar de ter o pulso de firmeza, como magistrado.

O ex-deputado e ex-presidente da Academia Paraibana de Letras, Joacil de Brito Pereira, afirmou que foi contemporâneo do deembargador na faculdade de Direito em Recife. Como juiz foi um homem reto, magistrado exemplar, sério, honesto, inclusive presidindo o Tribunal de Justiça da Paraíba. “Trago as minhas condolências para a família enlutada”, afirmou o acadêmico.

O ex-deputado Evaldo Gonçalves conheceu o desembargador Geraldo Ferreira Leite ainda em Campina Grande, quando tiveram uma convivência muito fraterna na condição de Promotor Público e Juiz, respectivamente. “Ele vai fazer muita falta à Paraíba e me associo às homenagens que estão sendo prestadas”, revelou.

O atual presidente da Academia Paraibana de Letras, Juarez Farias, afirmou que o desembargador Geraldo Ferreira Leite era um homem, que, na simplicidade, tinha uma grandeza ímpar. Sério, respeitador dos direitos da lei e sobretudo tolerante para com opiniões divergentes da sua.

O secretário da Receita Estadual, Anísio Carvalho Neto, genro do desembargador, declarou que seu sogro era um homem que, além de querido por todos, era um jurista respeitadíssimo e vai ser uma perda muito grande para a sociedade paraibana.

Josélio Carneiro, com fotos de Ernane Gomes, da Secom