João Pessoa
Feed de Notícias

Maranhão assina protocolos para instalar 19 novas empresas e concluir 1ª etapa de equipamento

segunda-feira, 1 de março de 2010 - 16:01 - Fotos: 
A Paraíba deu um passo importante para consolidar projetos na área econômica, sobretudo com investimentos para instalação de novas indústrias e a conclusão da primeira etapa do Centro de Convenções em fase de construção pelo Governo do Estado. E isso ficou patente com a assinatura de dois convênios pelo governador José Maranhão, na manhã desta segunda-feira (1º), no Palácio da Redenção, em João Pessoa, sendo um com o Ministério do Turismo e outro com a Caixa Econômica Federal (CEF).

O governador disse que os protocolos “são demonstrações de que o setor empresarial está acreditando no novo tempo que se instalou na Paraíba, cujo governo, mesmo diante da crise econômica que atingiu todo o mundo, teve capacidade de manter seus investimentos”. Também destacou que a meta é descentralizar a instalação de novas indústrias para o interior, de modo que se criem oportunidades de geração de empregos e renda, “sem que as pessoas se desloquem a centros urbanos maiores”.

Recursos e empregos – Para as obras do Centro de Convenções estão sendo liberados R$ 17 milhões dos R$ 35 milhões prometidos pelo Governo Federal, por intermédio da CEF. Através do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento do Estado da Paraíba (Fain), o governo estadual se compromete a apoiar 19 indústrias com as assinaturas de protocolos, que vão garantir mais de quatro mil empregos em diversos municípios. As 19 empresas devem investir R$ 2,1 bilhão.

No Centro de Convenções, o governo pretende entregar a primeira etapa no mês de julho, incluindo feira de exposição, estacionamento para mais de dois mil veículos, parte paisagística composta de lagos, fontes e um relógio, e mais um mirante, com restaurante e a cerca de proteção do empreendimento. Toda essa parte estará em dois blocos arquitetônicos que integram a estrutura do equipamento.

O valor total da primeira fase é de R$ 56 milhões, dos quais estão assegurados R$ 35 milhões, agora liberados após audiência na quinta-feira da semana passada do governador com o ministro do Turismo, Mário Augusto Lopes Moysés. A contrapartida do Governo do Estado é de 15 a 29%, dependendo do fluxo financeiro, a partir do Governo Federal.  

Liberação da obra
– O secretário do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos, Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia, Francisco Jácome Sarmento, lembrou que ao assumir o governo em fevereiro de 2009, o governador José Maranhão encontrou a obra sob embargo, proibida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de receber recursos. No entanto, as pendências foram solucionadas, inclusive as questões ambientais. Ressaltou que também com relação ao Pólo Turístico Cabo Branco as questões que entravavam seu andamento tiveram uma solução imediata. “Os problemas foram sanados em apenas 60 dias”, disse.

As indústrias – Os novos empreendimentos industriais foram atraídos pela Cinep e serão instalados em 11 municípios: João Pessoa e área metropolitana, Campina Grande, Araruna, Patos, Esperança, Santa Rita, Catolé do Rocha, Mamanguape e Cajazeiras.    Os segmentos beneficiados são da industrialização e comercialização de laticínios, massa de rejunte e argamassas para construção civil, produtos de vestuário, alimentares, químicos, colchões, peças de alumínio, de limpeza, equipamentos para educação, além da cerveja da marca ‘Bossa Nova’, artefatos têxtis para uso doméstico e de produtos médico-hospitalares.

Empresas do segmento de geração de energia elétrica, construção civil, caixas e artefatos de papelão, além de materiais plásticos e de garrafas e artefatos de plástico estão inseridas nesse protocolo.

Mais empresas – O presidente da Cinep, João Laércio Fernandes, lembrou que em janeiro passado foram assinados protocolos de intenção para a implantação de sete empresas no Estado, com investimentos de R$ 461,2 milhões, que vão permitir a geração de 2.193 empregos diretos nos municípios de João Pessoa, Itabaiana, Caaporã, Pedras de Fogo e Coremas.

João Laércio informou que as empresas terão de seis meses a um ano para começar a implantação de seus projetos, e contam com até 15 anos de isenção. A proposta oferece um maior percentual de incentivos a indústrias que se deslocam para o interior do Estado, como é o caso de Cajazeiras, que pode ser de até 99%. “Estamos fazendo uma troca de receita pelo social, já que isso garante a geração de mais empregos e renda”, comentou. Segundo ele, o setor empresarial está acreditando na Paraíba.

Empresariado – Para o empresário Daniel Vieira da Costa, da Viva Mais Indústria e Comércio de Laticínios, localizada na cidade de Araruna, o Governo do Estado está dando forte impulso na implantação do empreendimento. “A proposta é criar ambiente favorável ao fortalecimento da bacia leiteira nas regiões do Brejo e Curimataú, que não funciona por falta de comprador de leite”, observou.

Segundo ele, a participação do Governo do Estado nesse projeto tem sido de fundamental importância para sua consolidação. “Sabe-se que sem o incentivo do governo é difícil implantar um negócio, tipo laticínio, até porque o leite entra com zero de ICMS e vamos destacar produtos com 17%. Sem participação do Governo do Estado seria impossível a implantação do laticínio como estamos fazendo”, comentou.

“Com esse empreendimento, estamos fechando a cadeia de negócios, já que temos propriedade na produção de leite; com os produtos do laticínio, ou seja, queijo, leite e derivados, foi que decidimos fazer este investimento. Muito em breve investiremos na produção de ração animal. Temos empresa de cereais. Com isso, a parceria entre o Viva Mais e os produtores será fechada”, afirmou o empresário.

Qualidade – A proposta é de que o criador possa produzir leite com qualidade, com a utilização de ordenha mecânica, que ainda é pouco usada na Paraíba, como também de tanque de resfriamento. “Com isso vamos oferecer ao consumidor um produto de qualidade. Com a oportunidade que o governo está oferecendo será possível efetivar esse projeto, fazendo que o criador se anime a aumentar o rebanho leiteiro”, observou. Ele já vem mantendo contatos com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB) e o Campus da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em Areia, que garantiram apoio à iniciativa.

As empresas relacionadas a seguir assinaram o protocolo de intenção:
Viva Mais Indústria e Comércio de Laticínios Ltda.
Indústria e Comércio de Argamassas Itatiunga Ltda.
Lira Fashion Indústria e Comércio e Distribuidora de Confecções Ltda.
Boa Safra Indústria e Comércio de Alimentos Ltda.
Granflex Indústria e Comércio de Colchões e Espumas Ltda.
Ambra Acabamentos Ltda.
Oriental Energia S.A.
Dismobras – Importação, Exportação e Distribuição de Móveis e Eletrodomésticos
Steel Frame Tecnologies de Alumínio Ltda.
Tenedo Artefatos de Alumínio Ltda.
Indústria de Cosmético de Limpeza e Distribuidora Ltda.
Clube de Off-Rood
Cervejaria Maruitzstad Indústria e Comércio Ltda.
Indústria Farmacêutica da Paraíba Ltda.
STR Indústria 7 Comércio de Produtos de Limpeza Ltda.
Cipal Comércio e Indústria de Papelões e Papéis Ltda.
Relevo´s Peças Técnicas Ltda.
Petplast Indúastria e Comércio Ltda.

José Nunes, com fotos de manodecarvalho, da Secom-PB