João Pessoa
Feed de Notícias

Maranhão agiliza projeto da adutora São José no Ministério das Cidades

terça-feira, 22 de setembro de 2009 - 18:30 - Fotos: 

As obras da adutora São José, o Canal do Meio e a macro drenagem da Vila Feliz foram as pautas da audiência do governador José Maranhão com o ministro Márcio Fortes, do Ministério das Cidades. O encontro ocorreu na tarde desta quarta-feira (22), em Brasília (DF). 

José Maranhão apresentou ao ministro solicitação para realizar a segunda etapa da adutora São José, que é responsável por levar água da cidade de Boqueirão para Campina Grande. O sistema vai reforçar o abastecimento de água naquela região. “Com relação à segunda etapa da adutora São José, está tudo normal, já encaminhado”, explicou o governador, se referindo à resposta dada pelo ministro.

Outro pleito para a região apresentado pelo chefe do Executivo paraibano foi o Canal do Meio, que será um canal de macro drenagem e urbanização de Campina Grande.

Na ocasião, o governador solicitou também a macrodrenagem da Vila Feliz, no município de Cabedelo. “Para Cabedelo, nós trouxemos também um pleito que, aliás, tínhamos encaminhado antes, mas fomos ver em que pé estava, que é o pleito da macrodrenagem da Vila Feliz”, explicou José Maranhão.

Urgência – Ele informou também que o local (Vila Feliz) precisa ser atendido com urgência. “É uma das regiões que tem sofrido muito, não só com enchentes, mas também com as chuvas. Quando elas são mais rigorosas, como a que aconteceu este ano, a situação é muito dolorosa para a população de Cabedelo, especialmente aqueles que residem na Vila Feliz”, completou.

Na avaliação do governador, a audiência foi produtiva. “Para os projetos do Canal do Meio, em Campina Grande, e da macrodrenagem da Vila Feliz, em Cabedelo, ainda temos que lutar muito para anunciar o atendimento definitivo dessas reivindicações. Mas estamos esperançosos e o ministro assumiu o compromisso de buscar em reunião que acontecerá nesta quarta-feira (23), referente ao Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), os recursos necessários para que o projeto seja incluído dentro das prioridades”, adiantou.

Sérgio Botelho, da Secom Brasília