Fale Conosco

1 de setembro de 2009

Maranhão acerta empréstimo de US$ 178 milhões com Tesouro Nacional



Após audiência nesta terça-feira (1º) com o secretário do Tesouro Nacional, Arno Agustin, o governador José Maranhão confirmou empréstimos no total de US$ 178 milhões. Estes recursos serão destinados a obras no Estado da Paraíba e entre as ações beneficiadas encontram-se o projeto Cooperar e a melhoria da malha rodoviária estadual. A reunião aconteceu durante o segundo dia da viagem do governador, em Brasília.

O secretário do Tesouro garantiu ao governador paraibano agilidade na tramitação do empréstimo para financiamento da malha rodoviária, que beneficiará estradas vicinais entre vários municípios. O projeto rodoviário será garantido através da captação de recursos junto à Corporação Andina de Fomento (CAF), num total de US$ 150 milhões.

O volume de recursos vai assegurar que a Paraíba recupere o status que tinha antes: possuir uma das melhores malhas rodoviárias do Nordeste. O projeto na área de estradas vai beneficiar dezenas de municípios, sobretudo os de menor porte que ainda não possuem acessos pavimentados.

Cooperar – O governador falou da importância do projeto para os paraibanos. “O Projeto de Financiamento do Cooperar é importante no combate à pobreza no Estado. E já foi dado parecer favorável na Secretaria do Tesouro Nacional, devendo seguir para o Senado”. Os recursos destinados ao Cooperar são de US$ 28 milhões, firmados entre o Governo do Estado da Paraíba e o Banco Mundial (Bird).

O Cooperar tem executado ações nas comunidades da zona rural, especialmente obras de passagens molhadas, sistemas de abastecimento singelo, casas de farinha, implantação de eletrificação rural, apoiando atividades de apicultura, entre outras ações solicitadas através das associações comunitárias.

Porto – José Maranhão também esteve na manhã desta terça-feira (1º) em audiência com o ministro da Secretaria Especial dos Portos da Presidência da República (SEP), Pedro Brito. “A audiência com o Ministro Chefe da Secretaria de Portos, Rios e Cais teve como motivo a distribuição e modificação do projeto do Porto de Cabedelo”, explicou o governador.

O Porto de Cabedelo já foi líder na região Nordeste, “inclusive como um dos mais importantes da costa do País. Hoje, a dragagem do porto não passa de nove metros e meio e isso inviabiliza o atracamento por grande parte dos armadores de grande porte”, concluiu.

Sérgio Botelho, da Secom-PB em Brasília