Fale Conosco

14 de novembro de 2012

Mais de 500 pessoas fazem testes de glicemia na Capital



ses dia de combate a diabetes foto jose lins 60Mais de quinhentas pessoas  passaram pelo Ponto de Cem Réis, no Centro da capital paraibana, na manhã desta quarta-feira (14). O público usufruiu dos serviços oferecidos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, comemorado nesta data.

De 08h30 ao meio dia, os 10 profissionais da SES, em parceria com os alunos das faculdades Facene\Famene, Ciências Médicas e pelo Serviço Nefrológico Fiuza Chaves (Nefrusa)  - clínica especializada de Nefrologia, realizaram testes de glicemia, verificação de pressão arterial, avaliação antropométrica, (método de investigação em nutrição baseado na medição das variações físicas e na composição corporal global que permite a classificação de indivíduos e grupos segundo o seu estado nutricional)  orientação nutricional. O público também recebeu orientação sobre tabagismo e teste fagerstron ( que avalia o grau de dependência à nicotina), apoio psicológico ao fumante, orientação e informação da Doença Renal e Hemodiálise.

De acordo com a chefe Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis da SES, Gerlane Carvalho, os serviços mais procurados foram os testes de glicemia e a verificação de pressão arterial. “A maior parte da população, especialmente os homens, não costuma procurar as unidades de saúde para realizar estes exames que são imprescindíveis para o diagnóstico precoce não só do próprio diabetes, como da hipertensão, um fator de alto risco para a síndrome caracterizada pelo excesso de glicose no sangue”.

É o caso de Cláudio Cabral, de 47 anos. O vigilante informou que ainda não havia realizado o teste de glicemia este ano. “Não fiz ainda porque sou acomodado, mesmo tendo diabéticos na minha família, mas sei da importância de se precaver. Aproveitei a oportunidade aqui no centro e deu tudo bem, graças a Deus”, contou.

O médico Fábio Medeiros, que também estava na ação realizada pela SES, explicou que as dificuldades para o diagnóstico precoce começam no fato do diabetes ser uma doença silenciosa. “Cerca de 40% dos diabéticos não sabem que têm a doença. Isso porque muitas vezes não são percebidos e até desvalorizados. O problema é que a doença é silenciosa até o momento que ela grita. Já com problemas graves atrelados como insuficiência renal, AVC, infarto e cegueira”, explica.

Fábio recomenda que o cidadão faça ‘check up’ anual e procure evitar circunstâncias e fatores de riscos, como o tabagismo e a obesidade, especialmente se tiver casos de diabetes na família. “Precisamos ficar alertas também para um problema que tem crescido: a obesidade infantil. O excesso de peso contribui com a incidência cada vez maior de adolescentes e jovens hipertensos e diabéticos. Por isso, precisamos cuidar da alimentação de nossas crianças e incentivá-las à prática de esportes”.

Quanto à orientação nutricional oferecida na ação desta manhã, Gerlane Carvalho fez questão de enfatizar a informação de que, ao contrário do que todos pensam, os diabéticos não devem só se preocupar com o excesso de açúcar. “Não é só o doce que deve ser evitado. As pessoas precisam lembrar que as massas possuem amido, e que na sua digestão, a substância é transformada em açúcar”.

ses dia de combate a diabetes foto jose lins 3O cuidado, no entanto, não é seguido por diabéticos como o aposentado Ivanildo da Cruz, de 64 anos. Após o teste de glicemia ter acusado um índice de 539, quando o normal não ultrapassa 110, o aposentado confessou seus deslizes na dieta. “Há dois anos descobri que tenho diabetes e tomo insulina duas vezes ao dia. Mas eu confesso que não vivo sem pão, o que faz minhas taxas ficarem sempre muito altas”. Ivanildo foi um dos que foram encaminhados para a orientação nutricional, após ter passado pelo teste de glicemia.

Dados - De acordo com estimativas do Ministério da Saúde, baseado no Pacto pela Saúde, a Paraíba tem 199.626 diabéticos e João Pessoa 38.346 pessoas com a doença.

Sobre a doença - O diabetes é causado pela redução ou falta de insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas.   A Diabetes Mellitus está entre as 5 doenças que mais matam, chegando cada vez mais ao topo da lista.

O diagnóstico precoce, seguido do controle do nível de açúcar no sangue, contribui para a prevenção desses males. Hereditariedade, obesidade, infecções graves, gravidez, cirurgias, estresse, envelhecimento e sedentarismo são alguns dos fatores que concorrem para o aparecimento do diabetes. A enfermidade apresenta alguns sintomas: sede exagerada, perda de peso, muita fome, desânimo, fadiga, tremores, visão embaraçada e cicatrização difícil, entre outros.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 30 anos, cerca de 380 milhões de pessoas terão diabetes no mundo. No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas são portadoras da doença e 500 novos casos surgem a cada dia.