Fale Conosco

16 de outubro de 2015

Livro sobre Anayde Beiriz é lançado na Fundação Casa de José Américo



A segunda edição do livro “Anayde Beiriz – Panthera dos Olhos Dormentes”, do médico Marcus Aranha (in memoriam), será lançado no dia 22 deste mês, às 19h, na Fundação Casa de José Américo. A obra será apresentada pelo secretário de Estado da Cultura, Lau Siqueira. Com selo da Editora Cultura e Arte e prefácio assinado pelo historiador Humberto Fonseca de Lucena, o livro trata da publicação das cartas de amor trocadas entre Anayde e seu namorado, o acadêmico de medicina Heriberto Paiva.

Marcus Aranha revelou que lançou o livro em 2005 como forma de prestar uma homenagem ao centenário de nascimento de Anayde, que a autoria deve ser compreendida como trabalho de pesquisa, compilação e organização, considerando verdadeiros autores os protagonistas Heriberto e  Anayde.

Sua expectativa era de que a leitura das cartas trouxesse à tona “a verdadeira personalidade da professora, intelectual, cronista, contista e poetisa, sobretudo a mulher Anayde Beiriz”. No livro, o autor evidencia que “nascida na Parahyba do Norte, no começo do século XX, projetou-se social e intelectualmente, até que foi envolvida nos fatos trágicos de 1930, que terminaram levando-a a cometer o suicídio. A tentativa de contar a história dela no cinema terminou em aviltamento, coisa não merecida”.

O filho do autor, Marcus Aranha Filho, que assina a apresentação da segunda edição, destaca: “Próximo a completar dez anos de lançamento, creio eu, que este livro cumpriu o seu papel, que segundo o autor era de tentar desfazer a detratação mítica que fizeram com Anayde Beiriz, revelando o conteúdo de cartas trocadas entre ela e Heriberto, retratando uma Anayde feminina, apaixonada, cheia de sonhos e desejos, falando em filhos e casamento”.

Marcus Filho acredita que, após a leitura das cartas, o leitor terá oportunidade de conhecer Anayde por ela mesma, que responde sobre casamento, divórcio, lua de mel, ciúme, felicidade, caráter, suas qualidades e defeitos, música, dança, poetas e escritores preferidos, entre outros assuntos.

Perfil – Marcus Antônio Aranha de Macêdo, natural de João Pessoa, médico ginecologista, faleceu em dezembro de 2010. Notabilizou-se como gestor público de saúde, dirigindo diversos órgãos, como superintendente do Inamps, Maternidade Cândida Vargas, Maternidade Frei Damião, Geap, dentre outros. Quando aposentado, dedicava-se a escrever crônicas dominicais e livros.