Fale Conosco

24 de maio de 2013

Litoral Norte e Vale do Piancó recebem campanha ‘Não finja que não viu’



O Governo do Estado realizou uma audiência pública no município de Boa Ventura, na região do Vale do Piancó, nesta sexta-feira (24), pela campanha de proteção integral aos direitos de crianças e adolescentes ‘Não finja que não viu’. No Litoral Norte, o município de Marcação também vai contar com panfletagem e distribuição de material educativo.

A Campanha, coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), lançada na última segunda-feira (20) pelo governador Ricardo Coutinho, será permanente. Durante todo o ano haverá mobilizações com palestras em escolas públicas e privadas, abordagens em feiras livres e atos públicas nos municípios sobre os principais tipos de violência contra crianças e adolescentes. Haverá também Concurso de Boas Práticas, que vai ser lançado em junho, com premiação para o melhor trabalho.

O objetivo da mobilização é o combate às violações de direitos de crianças e adolescentes que, no ano passado, registrou 9.749 casos de denúncias de violência contra criança e adolescente na Paraíba por meio disque 100, o número nacional para denúncias de todo tipo violação de direitos.

Os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), que atendem a todo tipo de direito violado, registraram 3.632 casos de violência contra pessoas de até 18 anos. Entre as notificações, a negligência infantil teve 888 casos e a violência sexual somou 544 casos, entre exploração sexual (101) e abuso sexual (443).

Boa Ventura e Marcação – A atividade em Boa Ventura é organizada pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas Polo Regional de Ibiara). O evento contou com distribuição de material educativo sobre as diversas formas de violência infantil, além de palestra com a equipe da Sedh sobre os principais sintomas de uma criança ou adolescente vítima de violência e os encaminhamentos necessários.

Já em Marcação, a Sedh participa como parceira da ação organizada pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) do município. Na ocasião, vai ser instalada uma urna para que as pessoas possam denunciar anonimamente os casos de violência infantil. Haverá ainda uma caminhada e distribuição de material educativo.