João Pessoa
Feed de Notícias

Leite humano melhora coeficiente de inteligência de criança amamentada

quinta-feira, 1 de outubro de 2009 - 17:59 - Fotos: 

Profissionais da Secretaria de Estado da Saúde (SES) participaram da palestra ‘Fatores de Proteção do Aleitamento Materno’, ministrada por Franz Reis Novak, chefe do Banco de Leite Humano do Instituto Fernando Filgueira, do Rio de Janeiro, referência nacional para a política de bancos de leite humano. O pesquisador afirmou que a criança que mama desenvolve melhor a inteligência. O evento aconteceu na tarde desta quinta-feira (1º), no auditório do Centro de Referência Estadual do Trabalhador (Cerest), e foi promovido pelo Banco de Leite Humano Anita Cabral, vinculado à Maternidade Frei Damião.

De acordo com Franz Novak, os principais fatores de proteção que o leite humano oferece à criança que está amamentada são as imunoglobulinas presentes para o fortalecimento do sistema imunológico e as células brancas que destroem as bactérias capazes de infectar os recém-nascidos. “As crianças que mamam tem entre seis a oito vezes menos infecções respiratórias e diarréias do que aquelas que não mamam”, destacou.

Imunidade – Ele informou que, ao amamentar o filho, a mãe transfere imunidade que mantém a sua integridade física. “Ao nutrir adequadamente o recém-nascido com o leite humano, a mãe o ajuda a desenvolver a sua capacidade máxima intelectual que pode resultar em 6 a 8 pontos no seu coeficiente de inteligência e isso vai fazer grande diferença na qualidade de vida, no seu futuro”, disse.

Segundo a secretária-executiva da Saúde, Lourdinha Aragão, que representou o secretário de Estado da Saúde, José Maria de França, no evento, o gesto de doação de leite humano é muito mais que um gesto de amor. “É um gesto de vida”, completou. Ela informou que o incentivo ao aleitamento materno é uma das principais ações do governo estadual para a redução da mortalidade infantil na Paraíba.

Qualidade – O coordenador do Banco de Leite Humano do Instituto Fernando Filgueira adiantou que a política nacional de incentivo ao aleitamento materno brasileira chama a atenção de outros países do mundo, pela qualidade na certificação de leite humano que tem atendido, através de toda a sua rede com 195 bancos de leite humano, 58% dos bebês pré-maturos que dão entrada nas UTIs neonatais. “Hoje, isso corresponde a 145 mil bebês. Além disso, assiste 1,3 milhões de mulheres com problemas de lactação”, lembrou.

As pessoas que participaram da palestra prestam serviço nos 13 postos de coleta de leite humano na Paraíba, cinco bancos de leite humano e 20 hospitais com o título ‘Amigo da Criança’. Participaram da mesa de abertura da palestra ‘Fatores de Proteção do Aleitamento Materno’, o coordenador do Banco de Leite Humano do Instituto Fernando Figueira, Franz Reis Novak; a secretária executiva da Saúde, Lourdinha Aragão; a gerente operacional de Alimentação e Nutrição da SES-PB, Iara Medeiros de Araújo, e a diretora do Banco de Leite Humano Anita Cabral, Socorro Amaro.

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB