João Pessoa
Feed de Notícias

Lei Seca flagra 1.036 motoristas embriagados e reduz acidentes na Paraíba

quinta-feira, 21 de março de 2013 - 16:43 - Fotos:  Roberto Guedes / Secom-PB

Desde que o Governo do Estado criou a Operação Lei Seca, integrando as ações de fiscalização do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), 1.036 motoristas paraibanos  já foram flagrados dirigindo embriagados.

A integração das ações aconteceu em setembro do ano passado, antes das alterações na chamada ‘lei seca’ que elevaram o valor da multa de R$ 957,70 para R$ R$ 1.915,40 podendo ser dobrado para R$3.830,80, se houver reincidência, em até um ano.

Para colocar em prática a Operação Lei Seca, foram adquiridos etilômetros (bafômetros eletrônicos) e viaturas equipadas com computadores interligados ao banco de dados do Detran para facilitar a consulta dos veículos e condutores.

Em janeiro deste ano, a resolução número 432 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que dispõe sobre os procedimentos a serem adotados pelas autoridades de trânsito e seus agentes na fiscalização do consumo do álcool determinou a chamada “tolerância zero” para a mistura álcool e direção o que contribuiu para os resultados da Operação Lei Seca, executada na Paraíba.

Só este ano, já foram realizados 5.495 testes do bafômetro, 410 motoristas paraibanos foram flagrados dirigindo embriagados e 98 foram presos.

Segurança no trânsito – Na Paraíba, os reflexos do rigor na aplicação da ‘lei seca’ podem ser observados na diminuição do número atendimentos no maior hospital público do Estado, onde as vítimas de trânsito chegam a representar 70%.

Os relatórios do Hospital de Trauma de João Pessoa confirmam a diminuição gradativa no índice de atendimento às vítimas de acidentes de trânsito, a partir da integração e intensificação das ações de policiamento.

Desde que a Operação Lei Seca foi implantada, em setembro do ano passado, até fevereiro deste ano, o Hospital de Trauma de João Pessoa atendeu 4.417 vítimas de acidentes de trânsito. Enquanto de setembro de 2011 a fevereiro de 2012 foram atendidas 4.692 vítimas de acidentes de trânsito, o que representa uma queda de quase 6% no número de atendimentos.

A diminuição do número de acidentes também pode ser notada após a adoção da tolerância zero para o consumo do álcool ao volante, a partir de janeiro deste ano.

Segundo dados do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, o número de atendimentos às vítimas de acidentes de trânsito em janeiro e fevereiro de 2012 foi de 1.411. Comparando com janeiro e fevereiro deste ano, o número de atendimentos às vítimas de trânsito caiu para 1.373, nos dois primeiros meses de vigência da nova lei, uma queda de 2,7%.

Acidentes – Também é possível perceber que o número de atendimentos às vítimas do trânsito vem diminuindo a cada mês. Em dezembro de 2012, o Hospital de Trauma atendeu 788 vítimas de acidentes de trânsito e em janeiro de 2013 foram registrados 764 atendimentos, uma queda em torno de 3%.

Considerando que as mudanças na chamada ‘lei seca’ passaram a vigorar em 29 de janeiro, a queda no número de atendimentos às vítimas do trânsito foi de 764 em janeiro, para 609 em fevereiro, o que representa 20,28 %.

Para o comandante do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), coronel Paulo Sérgio, as modificações que tornaram a ‘lei seca’ ainda mais rígida chegaram em boa hora coincidindo com o momento em que o Governo do Estado integrou as ações dos órgãos de trânsito tornando mais eficientes e frequentes as fiscalizações.No mês de janeiro, o Hospital de Trauma de João Pessoa atendeu 109 vítimas de acidentes de automóvel e em fevereiro o número caiu para 71 atendimentos, o que representa uma diminuição de 34,86%. Já as vítimas de acidentes de motocicletas caíram de 469 em janeiro para 414 em fevereiro, uma redução de 11,72%.

O superintendente do Detran, Rodrigo Carvalho, comemora os resultados da Operação Lei Seca e acredita que a contratação de 60 agentes de trânsito, aprovados no primeiro concurso público da história do Detran,  vai impulsionar as ações permitindo a realização de mais fiscalizações e a interiorização do policiamento.

Para ele, “o maior desafio do Governo do Estado não é executar a parte repressiva da Operação Lei Seca, com fiscalizações e aplicação de multas, e sim alertar a sociedade paraibana sobre os riscos da mistura álcool e direção e salvar vidas no trânsito”.