Fale Conosco

1 de outubro de 2015

Laticínio com investimentos do Cooperar deve se tornar pioneiro na produção de queijo de cabra



A Cooperativa dos Produtores Rurais de Monteiro (Capribom), que recebeu investimentos do Governo do Estado por meio do Cooperar, deverá ganhar mercado nacional de produtos lácteos caprinos probióticos. A produção deve ter início até o final deste ano com a fabricação de dez tipos de produtos com tecnologia desenvolvida pela Embrapa Agroindústria Tropical em Fortaleza (CE), Embrapa Caprinos e Ovinos de Sobral (CE) e Universidade Federal da Paraíba.

Uma das etapas fundamentais que antecede a produção foi cumprida na noite da terça-feira (29), quando o grupo apresentou e ofereceu para degustação um mix de produtos probióticos e não probióticos para aproximadamente 200 pessoas na Fazenda Morro Fechado, zona rural de Monteiro.

Segundo o técnico responsável e gerente de negócios da Capribom, Francisco Rubens Remígio, na vitrine apresentada ao público convidado, o destaque ficou por conta do queijo de leite de cabra tipo coalho maturado e defumado, queijo coalho com óleo de pequi e queijo cremoso probiótico, desenvolvidos com tecnologia da Embrapa que foram bem aceitos pelos degustadores. A validação destes produtos cumpre todas as etapas de fabricação exigidas pelo Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e agora segue para análise laboratorial a fim de atestar a qualidade do produto.

Rubinho lembrou que para começar a produção, a Embrapa e a UFPB deverão firmar um contrato com a cooperativa para a liberação da tecnologia de fabricação deste tipo de produto que será pioneiro no mercado nacional. “Num momento oportuno, deveremos oferecer a um público convidado a apresentação e degustação de produtos probióticos de leite de cabra, desenvolvidos pelo Laboratório de Bromatologia do Departamento de Nutrição da UFPB, como o iogurte sabor uva, maracujá, ricota cremosa mista, entre outros”.

Registro – Nessa quarta-feira (30), a Capribom foi agraciada com o recebimento de registro do Serviço de Inspeção Estadual (SIE), que vai permitir a ampliação das vendas do carro chefe da cooperativa na produção de leite bovino e derivados para o mercado aberto, que atualmente por mês conta com uma produção de 300 mil litros de leite fluido pasteurizado e 50 mil litros de derivados lácteos.

O aumento de 60% no processamento de leite pela cooperativa foi resultado dos investimentos pelo Governo do Estado por meio do Projeto Cooperar, em parceria com o Banco Mundial, no valor de quase R$ 140 mil, que beneficiou diretamente 80 famílias. Com os recursos destinados, foi possível comprar dez tanques de resfriamento de leite bovino e caprino que deu para atender agricultores familiares em 11 comunidades rurais em Monteiro, como: Cacimbinha, Aroeiras, Cacimba de Cima, Araçá, Bom Nome, Santana, Garapa, Lagoa Grande, Malhada Vermelha e Camaleão.

As tecnologias de probióticos de leite de cabra foram desenvolvidas pelos pesquisadores da Embrapa, Selene Daiha Benevides e Antônio Silvio do Egito e ainda Rita Queiroga da UFPB e Humberto Cabral da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa).