João Pessoa
Feed de Notícias

Laboratório de DNA recebe Certificação Internacional de Qualidade e está entre os melhores do mundo

segunda-feira, 16 de maio de 2016 - 17:29 - Fotos: 

O Laboratório de DNA Forense do Instituto de Polícia Científica da Paraíba (IPC) recebeu esta semana os resultados referentes ao Controle de Qualidade do ano de 2015 emitido pelo Grupo Iberoamericano de Trabajo em Análisis de DNA (Gitad), que reúne pesquisadores e peritos de países da América Latina e da Península Ibérica, como Espanha e Portugal.

“Além da Certificação Internacional referente ao ano de 2015, que analisa testes com DNA Nuclear, os pesquisadores do Gitad concederam ao Laboratório do IPC da Paraíba o Certificado de Proficiência em relação às análises de DNA Mitocondrial, sendo uns dos poucos laboratórios do Brasil a realizar esse tipo de análise”, informou a gerente do Laboratório de DNA do IPC, Carmen Leda Gambarra.

Com isso, a Paraíba passa a ter, pelo sétimo ano consecutivo, a Certificação Internacional de Qualidade para o seu Laboratório de DNA, sendo considerado um dos mais completos e importantes do Brasil e do mundo. Além disso, o IPC da Paraíba é o único no Nordeste cujo Laboratório de DNA tem equipamento e peritos capacitados para realizar o exame de DNA Mitocondrial.

“O Certificado de Proficiência Internacional, cuja organização é feita pela Universidade de Granada, na Espanha, é respeitado em todo o mundo. Desde o ano de 2009, o Laboratório de DNA Forense do IPC da Paraíba participa do Gitad, sendo congratulado com o Certificado em todos os anos, o que o coloca entre os melhores laboratórios de DNA do mundo”, destacou a gerente.

O documento controla a eficiência e a confiabilidade dos resultados de exames emitidos pelo laboratório e esses resultados foram considerados de excelência e de acordo com as normas internacionais já estabelecidas. “As análises de amostras forenses envolvendo o DNA Mitocondrial são importantes porque servem de alternativa para os casos que não houve resultado conclusivo com as análises de DNA nuclear (STR autossômico). São os casos de amostras que apresentam pouco DNA ou que estão com DNA bastante degradado, ou ainda que não apresentem familiares diretos”, disse a perita Silvana Magna, que realiza as análises com o DNA Mitocondrial.

O exercício anual do controle de qualidade faz um levantamento da situação atual dos laboratórios de DNA entre os países membros, permitindo a criação de grupos de trabalho, difusão de novas técnicas, implementação e validação de normas de qualidade e a cooperação e treinamento dos técnicos.

“Anualmente, um país é escolhido entre os membros para uma reunião e este ano a XII Reunião do Gitad ocorrerá no Panamá, na província de Coclé, a 100 km da cidade de Panamá, nos dias de 27 e 28 de junho de 2016, com a finalidade de discussão dos resultados e estabelecimentos de diretrizes para as análises em DNA. Nessa reunião do Panamá serão referendados e entregues os Certificados já conferidos pelo Grupo após análise de material enviado pelos laboratórios, como foi o caso do Laboratório de DNA Forense do IPC da Paraíba”, finalizou a gerente Carmen Leda Gambarra.

Laboratório - O Laboratório de DNA Forense do Instituto de Polícia Científica da Paraíba iniciou suas atividades no ano de 2004. A Paraíba foi o primeiro estado das regiões Norte e Nordeste a implantar o Laboratório de DNA Forense dentro da instituição policial. O Laboratório de DNA Forense pertence à Gerência Operacional de Análise em DNA (Goad) e faz parte do Núcleo de Laboratório Forense de João Pessoa (NULF-JP)-IPC/PB. O Laboratório conta com uma equipe multidisciplinar formada por oito peritos oficiais, graduados nas áreas biológicas e da saúde com especialização e mestrado em genética forense.

Gitad - O Gitad (Grupo Iberoamericano de Trabajo em Análisis de DNA) foi criado no ano de 1997 pelos pesquisadores José Antônio Acosta Lorente e Juan Carlos Alvarez Merino, professores do Departamento de Medicina Legal da Universidade de Granada, para reunir os países da América Latina e também da Península Ibérica, como Espanha e Portugal, e coordenar a comunicação, partilha de conhecimentos técnicos, experiências e programas de qualidade dos membros, analisando as principais necessidades e problemas e estabelecendo um conjunto de diretrizes de desempenho nas análises em DNA.