Fale Conosco

16 de março de 2016

Juliano Moreira faz parceria com Funesc e pacientes assistem eventos artísticos e culturais



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) oficializa, nesta sexta-feira (18), às 9h30, no Espaço Cultural, a parceria entre o Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira e a Fundação Espaço Cultural (Funesc), que vai proporcionar a visita de pacientes às atividades artístico-culturais da Fundação. Logo após a solenidade, 20 pacientes farão uma visita ao planetário e, em seguida, haverá uma apresentação circense. O objetivo é dar continuidade ao projeto de humanização do Complexo, intitulado “Beija-Flor”, que oferece diversas atividades aos pacientes no intuito de tirá-los de dentro da estrutura de concreto para conhecer outros meios e auxiliar na recuperação.

“A inclusão dos pacientes em atividades extra-muro, de artes e cultura, vem ajudar na recuperação, diminuindo o tempo de hospitalização, uma das metas da Reforma Psiquiátrica e da Luta Antimanicomial, colaborando ainda para o equilíbrio emocional e psicossocial do usuário”, disse o diretor geral do Complexo, Walter Freire.

De acordo com a vice-presidente da Funesc, Nézia Gomes, a equipe está muito envolvida para que a parceria seja um sucesso. “A gente acredita que esse público também tem o direito de vivenciar a cultura e estamos dando esta oportunidade. Além do mais, queremos participar da luta antimanicomial, pois isso só vem reforçar a qualidade de vida proporcionada pelo governo por meio das políticas e ações”, falou.

De acordo com a parceria, a visitação ao Espaço Cultural acontecerá uma vez por mês, com perspectiva de aumentar os dias. Durante as visitas, os pacientes do Juliano Moriera participarão das apresentações de espetáculos teatrais; de exibições de filmes e exposições. Ainda terão a oportunidade de expor o material produzido por eles dentro do Juliano. 

A parceria prevê ainda para o segundo semestre a participação de artistas plásticos do Espaço Cultural promovendo atividades de produção de arte para os pacientes que, posteriormente, será exibida dentro do Juliano Moreira. Os trabalhos também serão expostos na feirinha promovida pela Funesc uma vez por mês.

Segundo a chefe do Núcleo de Ações Estratégicas, do Juliano, Ana Karina de Almeida, a visita ao Espaço Cultural proporcionará também a desconstrução de estigmas. “A vida da maioria destes pacientes se resume a casa/Juliano/casa e com estas atividades eles passarão a ter contato com um meio social diferente da sua realidade, se integrando e, com isso, facilita o retorno e melhora a relação com a família, mostrando que ele pode e deve levar uma vida normal”, falou.  

O Projeto Beija-Flor disponibiliza ainda ao paciente, dentro do Complexo, o Centro de Convivência Nise da Silveira, que integra a praça “Beija-Flor”, a sala “Espaço Luz”, para produção de artes plásticas e a biblioteca “Arco-Íris”. O objetivo do Centro é colocar o paciente em companhia da natureza e dar a oportunidade de participar de diversas atividades dentro do Juliano.

Segundo o diretor geral do Complexo, Walter Freire, com o trabalho humanizado que vem sendo implantado, por meio do Projeto Beija-Flor, o tempo de internamento vem diminuindo muito.  Atualmente, o tempo máximo de internamento é de até 24 dias. Antes, eram 35 dias. “Atribuo essa redução às atividades constantes e ao trabalho mais humanizado, com o envolvimento de todos os servidores”, declarou.

Durante a visitação ao Espaço Cultural, os pacientes serão acompanhados por uma equipe multiprofissional, formada por psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, pessoal de apoio e cuidadores.