João Pessoa
Feed de Notícias

Juliano Moreira desenvolve projeto para que pacientes voltem à sociedade

sexta-feira, 1 de março de 2013 - 11:44 - Fotos:  Kleide Teixeira / Secom-PB

O Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, que integra a rede hospitalar do Estado, desenvolve o ‘Projeto de Desinstitucionalização’, que tem como principal objetivo fazer com que os pacientes da unidade de saúde sejam colocados de volta à sociedade e ao convívio familiar, de acordo com o que determina a lei 10.216\01 da Reforma Psiquiátrica. “Trabalhamos para encontrar os familiares desses pacientes e reatar os vínculos afetivos, esse é o nosso grande objetivo”, explicou a diretora geral do Juliano Moreira, Ana Tereza Medeiros.

Segundo a diretora, desde que o projeto foi implantado, em março do ano passado, 32 leitos já foram desocupados e hoje 16 pacientes estão em fase de adaptação, preparação e ressocialização. Desse total, sete serão encaminhados para a Residência Terapêutica do Bairro de Mangabeira, que tem prazo previsto para começar a funcionar em maio deste ano.

“Esses pacientes, que moravam no Hospital há mais de 20 anos, hoje passaram a viver nas residências terapêuticas, que é um serviço substitutivo e no seio familiar”, disse Ana Tereza.  Ela explicou que esse processo de desinstitucionalização demora cerca de três meses e é conduzido por uma equipe multiprofissional formada por psicólogos, assistentes sociais, diretores e outros que formam a Comissão Interna de Desinstitucionalização do Juliano Moreira. “Durante esse período, o paciente passa por todo um preparo psicológico e social de readaptação ao convício social e familiar”.

Mesmo estando nas residências terapêuticas ou em casa com os familiares, o paciente é acompanhado pela Comissão Interna de Desinstitucionalização do Juliano Moreira, que avalia a adaptação, o comportamento e a evolução do paciente. Ana Tereza disse ainda que há casos em que a medicação do paciente é fornecida pelo Governo do Estado. “Em todo esse processo a gente conta com o apoio da Igreja, do juiz da cidade onde o paciente se encontra e outras entidades da sociedade civil organizada. É um trabalho feito de forma conjunta”, destacou.

Para a coordenadora do Serviço Social do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, Ana Isabel Correia Lima, a desinstitucionalização representa melhor qualidade de vida para o paciente e  contribui para que a sociedade acabe com o preconceito de que essas pessoas são loucas e incapazes de interagir e viver em sociedade.

Ana Tereza Medeiros destacou que as ações de saúde mental que vêm sendo implantadas na unidade de saúde estão dentro da Política Nacional do Governo Federal e da Reforma Psiquiátrica, que quer acabar com as internações. “Temos trabalhado para que o usuário passe o menor tempo possível dentro do hospital, como também na conscientização dos familiares, como forma de promover a reinserção dessas pessoas na sociedade e a inclusão no mercado de trabalho”, destacou a diretora.