Fale Conosco

19 de janeiro de 2016

Jovem que cumpre medida socioeducativa em unidade da Fundac passa em 3º lugar em Computação no IFPB



Um adolescente que cumpre medida socioeducativa na Unidade Lar do Garoto, em Lagoa Seca, foi o terceiro colocado para o curso de Engenharia da Computação no Sistema de Seleção Unificada (SISU) para o Instituto Federal da Paraíba (IFPB). D.L., de 17 anos, é natural de Campina Grande e fez parte do grupo de 14 adolescentes aptos a prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Desses 14 adolescentes aptos a fazer as provas do Enem, oito foram aprovados e D.L. conquistou a aprovação para uma área que mais se destaca na exportação de programas de computação na Paraíba. Tanto que em Campina Grande há colaboradores atuando na Google Inc. empresa multinacional de serviços online e software dos Estados Unidos. O Google hospeda e desenvolve uma série de serviços e produtos baseados na internet.

Outros adolescentes aguardam a segunda chamada para os cursos de Educação Física, Computação, Matemática, Química e Construção de Edifício. Os classificados para a segunda fase, que atingiram médias acima de 450 pontos, poderão concorrer a vagas no Sisutec  e no ProUni.

O Sisutec é uma das vias de acesso ao Pronatec. Um sistema informatizado no qual instituições públicas e privadas de ensino superior e de educação profissional e tecnológica oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos para candidatos participantes do Enem. O ProUni  é o Programa Universidade para Todos. Uma iniciativa do governo federal para facilitar o acesso de alunos carentes ao ensino superior que oferece bolsas de estudos de 50% ou 100% da mensalidade em faculdades particulares.

A presidenta da Fundac, Sandra Marrocos, não escondeu seu contentamento com a aprovação do adolescente. “Para nós que fazemos a Fundac, é motivo de muita alegria. Imagina, um adolescente que vive um contexto de privação de liberdade, de pobreza e hegemonicamente negro, passa em terceiro lugar para Engenharia da Computação? É algo que nos deixa imensamente gratificada”, declarou, ressaltando também que  “é a certeza de que estamos no caminho certo, apesar de toda a complexidade que é gerir a socioeducação na Paraíba”.

Sandra enfatizou também que, mais uma vez, esse resultado comprova que o que falta são oportunidades “porque o potencial desses adolescentes é imenso”. Ela agradeceu, publicamente a todos os trabalhadores da Fundação, de forma especial, aos do Lar do Garoto e Abrigo Provisório.