João Pessoa
Feed de Notícias

Joacil de Brito lança o livro ‘José Américo de Almeida: a saga de uma vida’

quarta-feira, 17 de março de 2010 - 14:13 - Fotos: 

O secretário da Educação e Cultura do Estado, Francisco Sales Gaudêncio, preside, nesta quinta-feira (18),  a solenidade de lançamento da 2ª edição revisada e ampliada do livro ‘José Américo de Almeida: a saga de uma vida’ de autoria do acadêmico Joacil de Britto Pereira. O lançamento correrá às 18h na Fundação Casa de José Américo, em João Pessoa, ainda dentro da passagem dos 30 anos de morte do Patrono da FCJA. Joacil de Britto Pereira revela que a obra tem 596 páginas contando toda a vida de José Américo. Ele chama a atenção para o excelente texto da orelha do livro escrito pelo saudoso Luiz Augusto Crispim.

A 1ª edição de ‘José Américo: a saga de uma vida’, publicada pelo Instituto Nacional do Livro nas comemorações do centenário de José Américo, tem  texto de apresentação do então presidente da República, José Sarney, que escreveu: “o escritor e deputado Joacil de Britto Pereira propõe neste livro contar “a saga” da vida de José Américo de Almeida. Ele sabe que está lidando não apenas com a vida de um grande escritor e de um extraordinário político, mas também com uma “figura lendária e mítica”. É correto, assim, que se proponha a narrar não uma simples história, mas uma saga”.

Eis um trecho do capítulo 1 – Meio Natural: Nunca escondeu o seu acendrado amor ao torrão natal. Esse afeto e mesmo orgulho é justificado. A terra onde nasceu, Areia, situada no Município do mesmo nome, outrora chamada de Brejo de Areia, tivera o seu primeiro batismo como Sertão de Bruxaxá. Fica pendurada numa das lombadas da serra da Borborema, o mais importante relevo orográfico do Estado, cognominado de “gênio tutelar da Paraíba”. “Exerce ela as múltiplas influências da altitude. É valiosíssimo esse relevo orográfico como zona climática e de culturas. É,  em grande parte, o recurso farto mesmo farto e providente celeiro para as crises de secas.”

Sobre o autor – Joacil de Britto Pereira nasceu no dia 13 de fevereiro de 1923, em Caicó/RN, filho de Francisco Clementino Pereira e D. Isabel de Brito Pereira. É casado com D. Neli Santiago Pereira. Desse enlace nasceram oito filhos: Isabel Cristina, Eitel Santiago, Joacil Filho, Augusto Sérgio, Amneres, Francisco José, Nely e Rodrigo (este falecido aos quinze anos). Tem dezoito netos: Danielle, Paula, Luciana, Joacil Neto, Leonardo, José Lavosier, Andréa, Lucas, Felipe, Thiago, Neli, Gustavo, Gabriel, Marco Antônio, Rodrigo, Isadora, Marília e Valéria. Há ainda três bisnetos: Maria Luíza, Arthur e Ailton Neto.

Em fevereiro de 1931, seus pais deixaram o sertão do Rio Grande do Norte e fixaram residência em João Pessoa, onde o biografado fez seus estudos, o primário no Colégio José Bonifácio, o início do ginasial no Liceu Paraibano, continuando, por dois anos, no Colégio XV de Novembro, em Garanhus/PE, mas concluindo as Humanidades no Liceu Paraibano, onde, com outros colegas, fundou o Teatro do Estudante.

Entre as várias funções públicas exercidas, destacam-se: Secretário do Conselho Penitenciário, Relator de Anais e Debates da Assembléia Legislativa, Secretário de Governo e Chefe da Casa Civil, no Governo Flávio Ribeiro, Secretário do Interior e Justiça, no Governo Ivan Bichara e Secretário de Segurança interinamente. Como participante da vida política paraibana, elegeu-se deputado estadual em duas legislaturas, pela UDN, (1959/1967); deputado federal, pela ARENA (1979/1983), sendo reeleito para o mandato de (1983/1986). Teve boa atuação na Câmara dos Deputados, onde integrou importantes Comissões (Constituição, Legislação e Justiça, de que foi Vice-Presidente; de Redação Final de Leis e de Relações Exteriores). Integrou o Colégio de Vice-Líderes do Governo João Batista Figueiredo, com apreciada atuação no Plenário.

A política o atraiu desde cedo. Ao lado de José Américo de Almeida e Argemiro de Figueiredo, dois dos fundadores da União Democrática Nacional, Seção da Paraíba, lutou contra a ditadura do Estado Novo.

É sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, onde ingressou em 31.05.1972, exerceu sua presidência por dois mandatos. Membro da Academia Paraibana de Letras, foi presidente da Casa das Letras paraibana, por dez anos. Pertence ao Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica, à Associação Paraibana de Imprensa, à Academia Campinense de Letras, à Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas, à Academia Brasileira de Letras Jurídicas, à Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro – Núcleo da Paraíba e à União Brasileira de Escritores – UBE/PB, sendo presidente fundador das duais últimas. Sócio Correspondente do IHG/RN e da Academia de Letras de Pernambuco. Pertenceu ao Conselho Estadual de Cultura por dois períodos. Sócio Honorário da Academia Paraibana de Filosofia e Sócio de Honra da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

É detentor do título de cidadão das cidades de Alagoinha, Bayeux, Guarabira, Santa Rita, João Pessoa, Juarez Távora, Araçagi, Cachoeira dos Índios, Jacaraú e Puxinanã e Teixeira. Pela Assembléia Legislativa do Estado, recebeu o título de Cidadão Paraibano.

É advogado, jornalista, historiador, biógrafo, memorialista, teatrólogo e ensaísta. Tem mais de vinte livros publicados. Entre as numerosas obras de sua autoria, destacam-se: O Homem Público Afonso Campos; Idealismo e Realismo na obra de Maquiavel (prêmio nacional do V Centenário de Maquiavel); Uma Vocação Política, De Mestre-Escola a Presidente; Um Título de Cidadão; O Voto Distrital; A Pena de Morte; Argemiro de Figueiredo – a oratória do seu tempo; José Américo de Almeida – a Saga de Uma Vida, publicada em co-edição INL/Gráfica do Senado Federal, lançada em 1987; A Vida e o Tempo (memórias, em 3 volumes).

Publicou vários livros sobre Direito, alguns ensaios e grande número de biografias de ilustres figuras: Joaquim Nabuco, o Libertador de uma Raça; Maurílio de Almeida- Uma Figura Encantadora e Vivaz; Elogio a Gama e Mello; Solon de Lucena – o Legislador e o Estadista; Horácio de Almeida: as Rotas do seu Destino; Flóscolo, um Filósofo do Direito; Severino de Albuquerque Lucena; Ruy Barbosa.; Ascendino Leite; Humberto Lucena; Odon Bezerra Cavalcanti – Homem de Lutas e de Letras; Ascendino Leite – escritor existencial e Convívio Literário de Ascendino Leite.

Recebeu da Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Cultura a editoração da Peça Olga Benário Prestes. Lançou, recentemente, Mulheres Símbolos e Honraria Acadêmica.

Joacil é detentor de várias condecorações, inclusive a Comenda do Mérito Cultural José Maria dos Santos, do IHGP; comenda da Legião do Mérito Presidente Antonio Carlos, no Grau de Grande Oficial; comenda da Ordem do Ipiranga; Ordem do Mérito da Cultura e Cavaleiresca de Santo Amaro; Medalha e diploma da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho Epitácio Pessoa, no Grau de Grande Oficial, concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho; medalha Lucídio Freitas, conferida pela, Academia de Letras do Piauí.

Igualmente, foi condecorado pela Academia Brasileira de Letras com a medalha “João Ribeiro”. Agraciado, também, com a medalha “Joaquim Nabuco” da Fundação que tem o nome daquele grande pernambucano. Recentemente, foi-lhe concedida a medalha do Centenário de Gilberto Freire, por conta da sua participação nas atividades comemorativas dos cem anos da vinda ao mundo do “Mestre de Apipucos”.

Josélio Carneiro, com informações do blog do autor