Fale Conosco

23 de novembro de 2017

Iphaep discute presença da mulher nos quadrinhos paraibanos com “Olga, a sexóloga”         



Universo predominantemente masculino, as Histórias em Quadrinhos também têm sido “invadidas” pelas mulheres nos últimos anos. E, no caso de “Olga, a sexóloga”, a responsável pelo seu humor inteligente e com toques de sexo e pitadas feministas é a paraibana Thais Gualberto. Agora, a personagem que durante muitos meses esteve nas páginas de “A Folha de São Paulo” vai estar, ao vivo e a cores, num evento promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba. O Fórum Permanente de Ciências e Cultura do Iphaep vai discutir sobre a presença da mulher nos quadrinhos paraibanos, na próxima quinta-feira (30), a partir das 14h, no auditório da Academia Paraibana de Letras (Rua Duque de Caxias, 37 – Centro de João Pessoa).

Além da palestra de Thais Gualberto, o Fórum vai promover o debate sobre o empoderamento feminino a partir da ótica de três outras mulheres: a arte-educadora Cassandra Figueiredo, a historiadora Regina Behar e a socióloga Sandra Raquew Azevedo. A ideia do Iphaep é reunir os alunos da educação básica, historiadores e professores universitários. A entrada é franca, podendo participar qualquer pessoa que tenha interesse no tema.

A historiadora e professora Márcia Albuquerque, responsável pela Coordenadoria de História do Iphaep, avalia que o Fórum em 2017 fecha sua programação com chave de ouro. “Durante todo este ano, trouxemos à tona vários temas de relevância. Agora, vamos discutir o empoderamento feminino, uma problemática que pode ser sentida na vivência da sociedade como um todo”.

Ela lembra quais os quatro temas que nortearam as pautas do Fórum Permanente de Ciências e Cultura do Iphaep neste ano de 2017: começou pelo 8 de Março, Dia Internacional da Mulher; o Bicentenário da Revolução de 1817; o Forró como Patrimônio Cultural Imaterial da Paraíba e termina neste dia 30, com a discussão sobre a presença da mulher nos quadrinhos paraibanos.

Segundo destaca Cassandra Figueiredo, gestora do patrimônio estadual, a intenção do Fórum Permanente de Ciências e Cultura do Iphaep “é provocar, discutir e integrar jovens estudantes, e a população em geral, no contexto cultural e de memória da Paraíba”.