João Pessoa
Feed de Notícias

Iphaep aprova processos para tombamento de bens culturais da Capital e Campina Grande

quinta-feira, 16 de julho de 2015 - 10:46 - Fotos: 

O Conselho de Proteção dos Bens Históricos e Culturais – Conpec, órgão de deliberação do Instituto do Patrimônio Histórico do Estado da Paraíba (Iphaep), se reuniu, nesta semana, na sede do órgão, para realização da Sessão Ordinária que atendeu às solicitações de tombamentos e autorização de intervenções em bens culturais.

Na ocasião, foram aprovados os processos para tombamento da escultura do artista plástico paraibano Jackson Ribeiro, conhecida por “Porteiro do Inferno”, localizada no girador da Avenida Pedro II, no Castelo Branco, nas imediações do campus da Universidade Federal da Paraíba, na Capital.

A escultura ‘Porteiro do inferno’ é uma obra de arte de estilo moderno de referência no cenário nacional, seu tombamento resgata a memória e a contribuição do artista plástico Jackson Ribeiro”, afirmou o antropólogo Carlos Azevedo, conselheiro relator do processo de tombamento.

Além dela, foi aprovado o processo do monumento de “Nossa Senhora de Lourdes”, localizado na Praça Dom Ulrico, no Centro de João Pessoa, ao lado da Basílica de Nossa Senhora das Neves, cujo autor não foi identificado nos registros do Iphaep. E, por último, o monumento de autoria do artista pernambucano José Corbiniano Lins, denominado “Os Pioneiros da Borborema”, situado no Parque Centenário, no Açude Velho, em Campina Grande.

Os referidos processos foram de autoria da restauradora do Iphaep, Maria da Piedade Farias e também do professor José Nilton, no caso especifico da escultura “Porteiro do Inferno”.

A diretora executiva do Iphaep, Cassandra Figueirêdo, destacou que todos os bens culturais aprovados para tombamento são de grande relevância no cenário histórico, artístico e cultural do Estado e que vêm contribuir para o fortalecimento da memória e identidade.

Após a apreciação e deliberação do Conpec, a homologação é realizada por decreto do governador do da Paraíba. Em seguida, é feita a inscrição no livro do tombo específico do Iphaep.

Participaram da reunião, os conselheiros representantes do Instituto Histórico Geográfico da Paraíba – IHGP, Academia Paraibana de Imprensa – API, Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraíba – OAB/PB, Associação Paraibana dos Amigos da Natureza – Apan, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente – Ibama, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, Comissão Estadual de Gerenciamento Costeiro – COMEG/PB, Academia Paraibana de Letras – APL, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – Crea e Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB.