Fale Conosco

17 de janeiro de 2013

IPC vai expedir antecedentes criminais para aprovados em concurso



A partir desta sexta-feira (18), os candidatos aprovados no concurso público para cargos técnico- administrativos do Governo do Estado podem solicitar os seus antecedentes criminais também na sede do Instituto de Polícia Científica da Paraíba (IPC). Normalmente o documento é expedido apenas nas Casas da Cidadania. “Nossa intenção é ajudar os aprovados a conseguirem o documento o mais rápido possível. Vamos ter uma equipe exclusiva para atender o pessoal”, afirma o diretor do Instituto, Humberto Pontes.

Para solicitar o documento, basta o aprovado se dirigir à Gerência de Documentação do IPC localizada na Rua Antônio Teotônio S/N, Bairro do Cristo, na Capital. O atendimento vai acontecer das 8h às 17 horas e o solicitante deve levar a cópia e o original da Carteira de Identidade (RG), além de pagar uma taxa de R$ 10,38.  Em caso de dúvida, o telefone de contato é 3218-5231.

Os convocados já podem procurar a perícia médica para realização do exame admissional, que está sendo realizado na Central de Perícia, em João Pessoa, e nas Gerências em Campina Grande, Patos e Guarabira. Na Capital, o atendimento pode ser agendado pelo telefone 3211-6055. Nas Gerências, acontece por ordem de chegada.

Para realizar o exame, o candidato precisa portar apenas o Atestado de Sanidade Mental, concedido pelo Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, localizado em João Pessoa, no CAPS, se emitido por psiquiatra ou qualquer instituição ou consultório médico desde que emitido por psiquiatra, além dos documentos pessoais (CPF E RG, sendo uma cópia simples e os originais). Para obtenção do atestado mental na rede pública é necessária a apresentação do Cartão do SUS.

As provas do concurso para técnico administrativo, nível médio, foram aplicadas no dia 6 de janeiro e foram compostas por 50 questões de Língua Portuguesa, Matemática, Informática Básica e Conhecimentos Gerais. Mais de 30 mil candidatos concorreram as 3.180 vagas, sendo que 5% delas foram reservadas para pessoas com deficiência.