Fale Conosco

16 de fevereiro de 2012

Interpa renegocia dívida de agricultores em débito com o Estado



Trabalhadores rurais em débito com o Governo Estadual ou Federal por meio de programas de financiamento como o Crédito Fundiário têm uma nova oportunidade de quitar suas dívidas até o segundo semestre deste ano. A procura já começou e deve aumentar nos próximos dias, segundo o Instituto de Terras e Planejamento Agrícola da Paraíba (Interpa), que administra programas de financiamento rural no Estado.

De acordo com o chefe do setor de Crédito Fundiário do Interpa, Francisco das Chagas Pereira, os agricultores que estão em débito são os que pediram empréstimo para aquisição de propriedade rural ou investimentos em infraestrutura e por algum motivo não tiveram condições de arcar com a dívida.

Ele disse que não se pode exigir do trabalhador com dificuldades financeiras o pagamento do empréstimo, exigindo a quitação do débito com um dinheiro que ele não tem no momento. “É preciso facilitar a forma de pagamento, para que o agricultor continue com o crédito e o poder público não seja prejudicado”, argumentou.

O presidente do Interpa, Nivaldo Magalhães, disse que cada caso será analisado individualmente. No entanto, alerta os trabalhadores rurais para o término do prazo de renegociação, que vai até setembro deste ano. “É bom não deixar para a última hora, para evitar tumulto e aproveitar a oportunidade que está sendo dada agora. Alguns trabalhadores rurais já procuraram o Interpa e estamos conseguindo reverter a situação em vários casos”, disse.

Francisco Pedro da Silva, presidente da Associação Nossa Senhora Aparecida, de São Miguel de Taipu, foi um dos agricultores que procuraram o Interpa para regularizar a dívida “Seis integrantes não estavam conseguindo pagar o empréstimo e isso prejudicou o grupo. Decidimos procurar o Interpa e regularizar a situação de alguma maneira”, contou. A entidade possui 30 famílias associadas e a solução nesse caso foi acertar o pagamento da última parcela atrasada, perdoando as demais, a fim de que os agricultores possam pagar as parcelas futuras, sem prejuízo do crédito rural como um todo. A dívida, que era de R$ 220 mil, caiu para R$ 30 mil.

Quem tiver dívida com o Programa Cédula da Terra, do Banco da Terra, também pode procurar o Interpa.