Fale Conosco

7 de março de 2012

Interpa capacita extensionistas rurais para agilizar propostas de crédito fundiário



Sessenta técnicos da rede de apoio de assistência técnica rural na Paraíba participam, nesta quarta-feira (7), até o fim da tarde, de uma capacitação referente ao Programa Nacional de Crédito Fundiário, promovida pelo Instituto de Terras e Planejamento Agrícola do Estado (Interpa) e pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio da Secretaria de Reordenamento Agrário.

O evento acontece no Hotel Caiçara e tem o objetivo de explicar, de maneira prática e simples, o funcionamento do Sistema de Informações Gerenciais do Crédito Fundiário (SIG-CF), que pode facilitar e agilizar o andamento dos processos de financiamento. “Acreditamos que difundindo o uso desse sistema podemos ampliar ainda mais a quantidade de projetos relacionados ao crédito fundiário em toda a Paraíba”, disse Nivaldo Magalhães, presidente do Interpa.

De acordo com o Instituto, muitos pedidos de empréstimo, principalmente do interior do Estado, chegam com problemas de documentação ou preenchimento inadequado, que acabam prejudicando o andamento dos processos. Com o SIG-CF, questões como essas deixam de existir, desde que o sistema seja seguido passo a passo. “A proposta do sistema é justamente ajudar o técnico extensionista a preparar as propostas dos agricultores de forma que o pedido de empréstimo siga corretamente”, complementou Nivaldo.

Um dos participantes do evento é o extensionista rural de Barra de Santana, Marcello de Oliveira. Segundo ele, a demanda de agricultores interessados no crédito fundiário é muito grande, por isso é importante o uso de um sistema que possa acelerar esse processo. “Vários trabalhadores nos procuram na zona rural dispostos a fazer empréstimo pelo crédito fundiário e sentíamos a necessidade de uma ferramenta que pudesse atender a todos de forma mais ágil”, disse.

O crédito fundiário é um programa do Governo Federal, mas funciona em parceria com os Estados. Na Paraíba, é coordenado pelo Interpa, por meio do Banco do Nordeste, que oferece condições para que os agricultores familiares sem terra ou com pouca terra possam comprar um imóvel rural financiado. As liberações podem chegar a R$ 40 mil por família, com pagamento em até 20 anos, incluindo três anos de carência.