Fale Conosco

10 de novembro de 2015

Inscrições para oficina nos Congressos de HIV/Aids e Hepatites Virais terminam sexta-feira



Terminam nesta sexta-feira (13) as inscrições para os interessados em participar da “Oficina de Atualização em HIV/Aids e Hepatites Virais para jornalistas”, seguida de entrevista coletiva, no dia 16 de novembro, às 14h30, no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor), na Capital. O evento está dentro da programação do 10º Congresso de HIV/Aids e do 3º Congresso de Hepatites Virais, que acontecerão no período de 17 a 20 de novembro, no Centro de Convenções de João Pessoa.

“A proposta é atualizar os profissionais e estudantes de comunicação em relação à temática Aids. O assunto é muito dinâmico e exige que haja sempre este cuidado e preparação, especialmente porque parte desses profissionais estará em contato direto com o tema na cobertura dos congressos”, afirmou a coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), Ivoneide Lucena.

A “Oficina de Atualização em HIV/Aids e Hepatites Virais para jornalistas” abordará dados epidemiológicos a nível nacional e estadual. “Entre esses dados está o aumento do número de casos de jovens com Aids na Paraíba e no Brasil, enfatizando que esta parcela da população ainda não adquiriu a cultura de usar preservativo. A oficina de atualização também servirá como alerta, tendo em vista que a Aids traz muitos efeitos colaterais e problemas de saúde”,  disse Ivoneide.

Ela lembrou, ainda, que o tratamento e a medicação são por toda a vida, deixando claro que a Aids ainda é uma doença sem cura. “Achar que a Aids não mata mais é um erro muito grande. Só na Paraíba, cerca de 110 pessoas morrem por ano pelo agravo”, declarou.

Além da atualização de dados sobre as temáticas HIV/Aids e Hepatites Virais, a oficina apresentará também a programação dos congressos. “Vários palestrantes nacionais e internacionais estarão presentes nos congressos, passando o que há de mais novo em pesquisas na abordagem dos temas”, pontuou Ivoneide.

A oficina será ministrada pelo diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (DDAHV), do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, que também é presidente dos Congressos, e pelo médico infectologista Evaldo Stanislau, coordenador do Comitê Científico do 3º Congresso de Hepatites Virais. A mediação será feita pelo jornalista e coordenador da Assessoria de Comunicação do DDAHV, Marcelo Oliveira.

Após a oficina sobre Aids e Hepatites, Mesquita e Stanislau apresentarão temas importantes dos dois congressos durante entrevista coletiva, que também terá a participação da coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da SES-PB, Ivoneide Lucena.

Inscrições – As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo e-mail informacoes@aids.gov.br. No assunto do email deve conter: Oficina HIV/Aids e Hepatites. E no corpo do texto: nome completo, identidade, veículo onde trabalha e função. Vale salientar que os jornalistas que só puderem participar da coletiva também deverão se inscrever.

São 100 vagas, sendo 50 para jornalistas de todas as mídias da região, 30 para assessores das secretarias e outros órgãos públicos envolvidos no apoio ao evento e 20 para estudantes interessados em participar da cobertura dos congressos (pré-inscritos em seleção divulgada em faculdades de comunicação da Capital).

Programa da oficina:

14h30 – Cenário do HIV/Aids no Brasil e no Mundo – Fábio Mesquita

15h00 – Perguntas da plateia

15h10 – Cenário das Hepatites Virais no Brasil e no Mundo – Evaldo Stanislau

15h40 – Perguntas da plateia

15h50 – Destaques do X Congresso de HIV/Aids – Fábio Mesquita

16h10 – Destaques do III Congresso de Hepatites Virais – Evaldo Stanislau

16h30 – Entrevista coletiva – Mesquita, Stanislau e Ivoneide Lucena

O 10º Congresso de HIV/Aids e o 3º Congresso de Hepatites Virais serão promovidos pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e o Governo da Paraíba. A expectativa é que compareçam três mil pessoas do Brasil e de todo mundo, entre trabalhadores da saúde, professores universitários, estudantes de pós-graduação e a população chave, a exemplo de usuários vivendo com HIV/Aids ou Hepatites, profissionais do sexo, travestis, transexuais, jovens gays, etc.

Confira a programação do Congresso no portal: http://aidshvbrasil2015.aids.gov.br/sites/default/files/programacao/programacao_site.pdf