Fale Conosco

24 de novembro de 2010

Inscrições para a Escola Pública de Trânsito começam nesta quinta (25)



O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) apresenta nesta quinta-feira (25), às 9h, na sede o órgão em Mangabeira, os veículos adquiridos para as aulas práticas da Escola Pública de Trânsito. São dois carros e duas motocicletas que serão utilizados pelos alunos matriculados na Escola Pública de Trânsito (EPTRAN). As inscrições para o curso começam nesta quinta-feira (25).

O objetivo é assegurar aos candidatos carentes o acesso gratuito à primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Na primeira fase, serão abertas 80 vagas em duas turmas de 40 alunos. A Escola Púbica de Trânsito já está em construção na sede do Detran, no bairro de Mangabeira.

A publicação da Resolução do Conselho Diretor do Detran, aprovando o Regimento Interno da EPTRAN provocou uma corrida de candidatos à sede do órgão, antes mesmo da abertura oficial das inscrições, que só acontece nesta quinta-feira (25).

Diante da procura antecipada, o Detran optou por uma espécie de pré-inscrição que não assegura a vaga aos que preencheram fichas e apresentaram documentos. Para ter direito ao benefício é preciso atender a vários critérios de carência. Entre eles, estar desempregado e inscrito em algum programa social do Governo.

Segundo o superintendente do Detran, Coronel Francisco de Assis Silva, será estudada a melhor maneira de preenchimento das vagas dentro de critérios justos e democráticos. Ele lembrou que a Carteira Nacional de Habilitação representa muito mais que o direito de conduzir um veículo. O documento tem força até para garantir a inclusão de um desempregado no mercado de trabalho. A demanda, acima de qualquer expectativa, comprova que o Governo, através do Detran, acertou ao oferecer um benefício que contribuirá para a inclusão social”.

Transporte de veículos apreendidos

Nesta quinta-feira, o Detran também vai apresentar o caminhão do tipo plataforma, adquirido pelo órgão, para transportar os veículos apreendidos durante as fiscalizações. Até então, os transporte dos veículos era feito por empresas terceirizadas que cobravam cerca de 70 reais pelo serviço.