João Pessoa
Feed de Notícias

Informalidade e entrosamento marcam convivência entre Maranhão e Lula durante vistoria

quinta-feira, 15 de outubro de 2009 - 17:14 - Fotos: 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem certeza de que o Nordeste não quer mais viver de frente de trabalho durante o período da seca e, por isso mesmo, incumbiu o governador José Maranhão, a quem chamou simplesmente de ‘Zé’, de dizer aos paraibanos que a transposição das águas do rio São Francisco é uma realidade.
 
Nesta quinta-feira (15), o presidente disse que seu governo quer resolver a convivência do povo com a seca, enquanto vistoriava obras do Eixo Leste (entre os municípios pernambucanos de Sertânia e Custódia) que vão beneficiar a Paraíba e Pernambuco. Mais uma vez, ele garantiu que a primeira etapa desses serviços estará pronta já em 2010.

A informalidade, simplicidade e entrosamento foram, sem dúvida, as marcas da convivência entre o presidente e o governador durante a viagem de trabalho ao interior pernambucano. O chefe do Executivo paraibano expressou seu reconhecimento à preocupação de Lula com as pessoas desempregadas, especialmente na região nordestina. “O presidente, fiel às suas origens, não se esqueceu dos nordestinos”, afirmou o governador, endossando a afirmativa de que a transposição é uma realidade. Ele se mostrou extremamente entusiasmado com o que viu no canteiro de obras.

Expectativa – Maranhão afirmou que a obra é um sonho de gerações. “De gerações de muitos paraibanos e nordestinos”, afirmou após o término da inspeção das obras do Lote 11, um dos trechos mais adiantados do Eixo Leste, e que deve ficar pronto em quatro meses. A expectativa do presidente Lula é que as obras desse Eixo fiquem prontas até o próximo ano e as do Eixo Norte, até 2012. As obras da transposição estão orçadas em mais de R$ 6 bilhões e beneficiarão aproximadamente 12 milhões de pessoas nos Estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará.

O governador paraibano esteve acompanhado todo o tempo da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), do governador Eduardo Campos (PSB), de Pernambuco, e do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE). O secretário de Recursos Hídricos da Paraíba, Francisco Sarmento; o assessor do governador, Idácio Souto, e o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira, também estavam na comitiva.

“Está tudo bem”. A frase foi pronunciada pelo ministro Geddel Vieira ao analisar os benefícios futuros da Paraíba com a transposição, prevendo também a conclusão do Eixo Leste em 2010. Até o final deste ano, as obras vão gerar aproximadamente 10 mil empregos. “Esta obra está mudando a realidade do Nordeste”, ressaltou.

Presidente confere atenção especial a Maranhão

A atenção especial que Lula conferiu a Maranhão, enquanto permaneceram vistoriando as obras da transposição, ficou ainda mais patente quando o dirigente nacional citou o nome do governador paraibano antes de todas as autoridades presentes, ao subir no palanque para discursar. “Meu amigo Maranhão” foi a expressão utilizada pelo presidente na ocasião.

O entrosamento entre o governador, o presidente e a ministra chefe do Gabinete Civil da Presidência, Dilma Rousseff, se repetiu nos vários momentos da visita de dois dias ao interior de Pernambuco, encerrados nesta quinta-feira (15).

Maranhão circulou pelas obras sempre ao lado de Lula e Dilma, conversou com os operários e foi o único governador presente à visita que concedeu entrevista à imprensa nacional, na noite da quarta-feira (14), quando o presidente visitou o canteiro de obras. Ele chegou a ser elogiado pela imprensa presente pela atenção dispensada aos jornalistas.

Nesta quinta-feira pela manhã, o governador paraibano teve conversas reservadas com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e com o deputado federal Ciro Gomes, também do PSB. Ele saiu animado, mas disse que preferia não revelar o teor das conversas.

O governador não escondeu a satisfação ao ser elogiado pelo secretário geral do Ministério da Integração Nacional, João Santana, por ter conseguido ‘roubar’ Francisco Sarmento, atual secretário de Recursos Hídricos da Paraíba, do governo federal. Segundo João Santana, Sarmento é um dos poucos que podem responder a qualquer pergunta sobre o projeto de transposição do São Francisco.

Ao subir no palanque, para o pronunciamento do presidente, o nome do governador José Maranhão foi o primeiro a ser citado por Lula, a quem chamou de “meu amigo Maranhão”. Ainda no palanque, Maranhão conversou reservadamente com a governadora do Rio Grande do Norte, Wilma Farias.

“Não é preciso ir a São Paulo, tem emprego no Nordeste”

O presidente Lula fez questão de dizer que as obras da transposição vão gerar empregos na região – atualmente são 8.380 funcionários trabalhando nos Eixos Norte e Leste e devem chegar a mais de 10 mil postos de emprego até dezembro. O presidente criticou a ‘indústria do carro-pipa’, que acaba “por extorquir aqueles que não têm acesso à água”.

Ele disse também que “as pessoas do Sul do país não conhecem o sofrimento de quem nasceu nas regiões mais secas do Nordeste”. E deu o recado: “Quem quiser trabalhar não vai precisar mais ir à São Paulo porque tem emprego no Nordeste”. Lula fez questão de dizer que a transposição do rio São Francisco é uma das mais importantes do mundo. “Nós queremos tornar o País mais justo”, sentenciou.

Durante a visita às obras do Lote 11, além do governador José Maranhão, acompanharam o presidente a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), ministro Geddel Vieira (Integração), João Santana (secretário geral do Ministério da Integração), governadores Eduardo Campos (Pernambuco), Cid Gomes (Ceará) e Wilma Farias (Rio Grande do Norte), além do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) e de Franklin Martins.

Estágios das obras da transposição nos Eixos Leste e Norte

O Eixo Leste, que levará água para os Estados de Paraíba e Pernambuco, já está com 16% do total da obra executados, e compreende os lotes de 9 a 13 e o 11, onde Lula esteve com a comitiva. O trecho mais adiantado já está com 38,3% da obra executados. Já o Eixo Norte, que levará água para os Estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará, já está com 13,4% dos serviços executados e compreende os lotes de 1 a 8, além do 14.

Sony Lacerda, com fotos de Mano de Carvalho, da Secom