João Pessoa
Feed de Notícias

Indústria recebe visita de secretário do Turismo

sexta-feira, 9 de outubro de 2009 - 10:21 - Fotos: 

Ele estava acompanhado de técnicos da Cinep e  Conselheiros do Fain. Durante a visita técnica, os diretores Luiz Carlos Barboza e Frederico Tavares de Melo apresentaram todos os processos de industrialização, passando da colheita ao empacotamento pronto para distribuição ao mercado.

Uma das exigências da indústria é a qualidade,  por isso o processo produtivo é monitorado desde a plantação, quando existe a preocupação com adubos e irrigação até a colheita e quando são selecionados os melhores frutos para serem encaminhados ao processamento do produto final.

Atualmente, a indústria  produz o  leite de coco nas versões integral, com baixo teor de gordura e light. Também abastecem o mercado com o coco ralado desidratado, úmido e adoçado e desidratado em flocos.

Outra inovação foi a cobertura para sorvetes nos sabores chocolate, morango, caramelo e leite condensado e os refrescos em pó nos sabores limão, laranja, manga, uva, tangerina, morango, maracujá, graviola e cajá. Também passaram a produzir o chocolate em pó com a linha Golden Mix..

A Coco do Vale conta com uma área total de 2.691 hectares, dos quais 1.436 hectares são plantados e tem uma produção anual de 14 mil toneladas de coco. Com a expansão da indústria essa produção passará para 20 mil toneladas.

Situada numa área privilegiada entre os Rios Jacuípe e Mangereba, a indústria processa coco de sua própria fazenda e distribui os produtos para todo o país, iniciando sua participação no mercado internacional a partir da exportação para América Latina e África. Todos os produtos passam por rigoroso processo de controle de qualidade, acompanhado de perto pelo engenheiro de alimentos Jose Marcos Vieira.
 
O diretor Luiz Barboza informou que atualmente a área dispõe de 1.380 coqueiros plantados e é responsável pela geração de 220 empregos diretos. Com a expansão da indústria a meta é que esse número seja ampliado para um total de 616, já que o setor agrícola é responsável por 375 empregos.
 
O secretário Edivaldo Nóbrega lembrou que o Governo do Estado, através do Fain, tem ajudado de forma significativa os empresários que buscam incentivos e que uma empresa como esta que tem oferecido empregos, melhoria de renda, geração de receitas para o Estado  e conseqüentemente melhoria social  é um orgulho para todos que acreditam no desenvolvimento da Paraiba.
 
Também estava presente o presidente do Centro das Indústrias do Estado da Paraíba – Ciep, João da Mata que elogiou a organização da indústria e a responsabilidade social com os empregados, á que todos trabalham devidamente equipados, evitando riscos de acidente de trabalho.

O representante do Banco do Nordeste, Cris Anderson Pessanha, ressaltou a importância da geração de emprego e renda tanto para o município, como para o Estado. Ele lembrou que um dos pontos favoráveis  que a instituição financeira prioriza é justamente esse, por isso, o Banco do Nordeste tem estado presente com financiamentos e facilitação em tantos empreendimentos.

Cris Anderson também lembrou a importância do agronegócio para o crescimento e conquista dos mercados nacionais e internacionais e disse que a Coco do Vale tem potencial para crescer e gerar ainda mais emprego.

A história da Empresa

A Indústria Alimentícia do Vale (IAV) foi fundada em 2003 com o objetivo de produzir derivados de coco, com destaque para leite de coco e coco ralado.

Sua unidade industrial, sediada em Lucena-PB, tem capacidade de processar mais de 1.200 toneladas de coco in natura por mês .

Nesses 6 anos de atuação, a Empresa tornou-se uma das líderes na produção de coco ralado e leite de coco no Brasil. Adicionalmente, a Empresa produz refrescos em pó e coberturas para sorvete e sua linha de produtos é reconhecida pelo alto padrão de qualidade. Faturamento de R$ 35 milhões previsto para 2009.

Sua estratégia para o futuro prevê a ampliação da linha de produtos, com destaque para a água de coco, e expansão de mercados, ampliando suas vendas nas regiões sul, sudeste e centro-oeste, bem como suas exportações.

Ana Neves, da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico