João Pessoa
Feed de Notícias

III Caravana do Coração realiza atendimentos na cidade de Sousa

terça-feira, 30 de junho de 2015 - 18:55 - Fotos: 

A III Caravana do Coração, ação desenvolvida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a ONG pernambucana Círculo do Coração e prefeituras, prestou atendimento nesta terça-feira (30) na cidade de Sousa das 8h às 16h, no Centro de Treinamento de Professores.

No local foram atendidas crianças e gestantes dos municípios de Nazarezinho, Santa Cruz, Lastro, Vieirópolis, Marizópolis, São Francisco, Sousa, Aparecida e São José de Lagoa Tapada. Logo nas primeiras duas horas da ação, foram atendidas 10 crianças, destas, sete apresentavam problemas cardíacos.

“Este número representa a grande necessidade da Caravana acontecer nos lugares mais distantes dos grandes centros, pois aqui é feito o diagnóstico, são realizados os exames e os pacientes ainda são encaminhados para o acompanhamento e tratamento mais adequados”, explicou a presidente do Círculo do Coração, a cardiologista pediátrica Sandra Mattos.

Entre os 10 primeiros pacientes atendidos, o mais grave foi David Gomes Romano, de dois anos, do município de Santa Cruz. Nasceu com problemas cardíacos e, logo aos três dias de vida passou por uma cirurgia. Depois disso, o tratamento foi interrompido e hoje David chegou à Caravana com uma cor arroxeada (cianose), com cansaço e bastante irritado. Após passar por uma série de exames, foi constatado que precisa ser operado novamente.

Sandra explicou que casos como o de David motivaram a instalação das “Salas do Coração” nas cidades por onde a Caravana passa. Nelas, médicos e enfermeiros locais vão trabalhar com profissionais do Círculo do Coração, por meio da internet, para fazer o acompanhamento das crianças cardíacas da região e ainda será um espaço de capacitação profissional.

“A cirurgia de David e o pós-operatório serão acompanhados pela equipe da “Sala do Coração”, de Sousa e, dessa forma, fica mais difícil de haver interrupção do tratamento”, disse a médica.

Outra criança atendida em Sousa foi Lucas Ribeiro Lemos, de dois anos, que vem sendo acompanhado pela Caravana desde o primeiro ano, em 2013. Ele nasceu com sopro no coração e aos 40 dias de vida foi atendido na I Caravana, que o encaminhou para cirurgia. Dez meses depois, foi atendido na II Caravana para o pós-operatório e, desta vez, recebeu o tão sonhado diagnóstico: está curado.

“Estou muito feliz com tudo que esta Caravana proporcionou ao meu filho e a toda minha família. Lucas é gêmeo e, por conta do problema que tinha, não podia acompanhar a irmã nas atividades normais de uma criança de sua idade. Agora, ele e a irmãzinha vão brincar bastante, sem nenhuma diferença”, festejou a mãe dos gêmeos, a nutricionista, Liliane Lemos.

O pai, Fernando Lemos, que é médico otorrinolaringologista, avaliou o trabalho da Caravana como primordial. “Só quem tem um filho doente sabe do sofrimento e este trabalho vem para amenizar e, no nosso caso, acabar com toda essa luta árdua. Obrigada a toda equipe!”, falou.

Capacitação – Para a enfermeira Mayra Melo, coordenadora de enfermagem da UTI neonatal, da Maternidade Frei Damião, na capital, a parceria do Governo do Estado com o Círculo do Coração, desde 2011, é um divisor de águas na saúde do estado. “Trabalho há sete anos na saúde e só quem já atuava, antes desse projeto, sabe a diferença que vem fazendo”, declarou. Ela lembrou que, antes, havia muita dificuldade para se chegar a um diagnóstico porque existiam poucos profissionais capacitados.

“Quando se conseguia o diagnóstico de uma cardiopatia, tinha muita burocracia para o tratamento. Era enviada toda documentação do paciente para a Secretaria de Estado da Saúde regular uma vaga em qualquer lugar do país que fizesse a cirurgia, já que não era realizada aqui. Nos casos mais graves, o Governo tinha que dispor até de helicóptero para a transferência, o que gerava mais demora. O resultado, muitas crianças morriam. Depois do Círculo do Coração, a Paraíba realiza cirurgias; o diagnóstico é imediato porque há muitos profissionais capacitados e, nos casos onde há necessidade de transferência para Recife, é feita com o mínimo de burocracia, em ambulâncias do SAMU”, relatou.

Mayara é uma das instrutoras dos cursos oferecidos pela Caravana do Coração aos profissionais de saúde: “Atenção Humanizada ao Recém-Nascido”.

A enfermeira da Unidade de Saúde da Família, de Aparecida, Eveline Sarmento, é uma das alunas. “Achei bem interessante porque na minha cidade têm crianças cardiopatas e vou levar o que aprendi aqui para orientar melhor e evitar o que ocorre com bastante frequência: primeiro os pais não aceitam que os filhos sejam doentes e, segundo, desacreditam nos serviços do SUS porque são gratuitos e, por isso, não merecem confiança. Saio daqui bem fortalecida para mudar essa cultura e ajudar no trabalho da rede de assistência cardiológica pediátrica do estado”, desabafou.

Ainda estão sendo oferecidos os cursos de Reanimação Neonatal e Noções de Transporte; de Sensibilização dos Cuidados com o Recém-Nascido e o de Acesso Venoso e Suporte.

Números – A III Caravana do Coração começou pela cidade de Cajazeiras, nesta segunda-feira (29), quando foram atendidos 84 pacientes e realizados 363 procedimentos.

Nesta quarta-feira (1), a Caravana estará em Catolé do Rocha, depois segue para Pombal (2), Itaporanga (3), Princesa Isabel (5), Monteiro/Sumé (6), Esperança (7), Picuí (8), Guarabira (9), Itabaiana (10) e será encerrada em Mamanguape, no  próximo dia 11 de julho.