João Pessoa
Feed de Notícias

HRC terá setor para o programa de Acolhimento por Classificação de Risco

segunda-feira, 29 de março de 2010 - 13:29 - Fotos: 
Dinamizar o atendimento e acolher com resolutividade todas as pessoas que procurarem a unidade de saúde. É com esse objetivo que o Hospital Regional de Cajazeiras (HRC) acaba de dar o primeiro passo para a implantação de um novo método de atendimento, que pressupõe uma mudança na tradicional forma de atendimento do hospital, realizado por filas e ordem de chegada, e a adoção da prática da humanização das relações entre profissionais de saúde e usuários.

Trata-se do Acolhimento por Classificação de Risco, que determinou a reforma estrutural de todo o setor de Urgência e Emergência da unidade, iniciada na última quinta-feira (25), para o cumprimento das exigências para implantação do programa. De acordo com o diretor-geral do HRC,  Antônio Fernandes Filho, até o mês de maio, os usuários dos serviços de saúde da unidade poderão contar com uma estrutura capaz de acolher, escutar e dar respostas mais adequadas aos usuários através de uma equipe bem treinada que agilizará o atendimento.

“Queremos oferecer uma estrutura capaz de acolher os usuários e isso implica prestar um atendimento com alto poder de resolução, coisa que o acolhimento por classificação de risco alcança com tranquilidade”, destacou Antônio Fernandes, lembrando que, com o acolhimento por classificação de risco, o paciente é atendido de acordo com a gravidade do problema. “No momento em que o paciente chegar ao hospital, os enfermeiros farão o seu acolhimento de acordo com sua gravidade e o encaminharão a uma determinada sala, que poderá ser vermelha, amarela, azul e verde, que representa o tipo de atendimento que ele terá”, explicou o diretor.

Ambientes especializados
– Segundo ele, o projeto de reforma do setor de Urgência e Emergência do HRC conta com a divisão de diversos ambientes especializados para o acolhimento médico, sendo a sala de cor vermelha, destinada aos casos graves, com risco de morte; a sala de cor amarela, para os pacientes em observação médica; a sala verde, para o atendimento médico programado e a sala azul, reservada para que profissionais capacitados estejam à disposição do paciente para orientações quanto a outros serviços de saúde para continuidade da assistência.

Além dessas divisões, outro espaço também já está em construção. Desta vez, voltada para o acolhimento das famílias dos pacientes, que na ocasião serão acompanhadas por psicólogos e assistentes sociais.  Após a conclusão da reforma, novos equipamentos também incrementarão os novos espaços. Conforme informações da enfermeira-chefe da unidade, Andréia Fernandes, a sala vermelha será uma espécie de UTI, totalmente equipada para realizar os primeiros procedimentos nos casos de urgência e risco de morte. “Lá teremos seis leitos e outros equipamentos vão chegar para o funcionamento de uma espécie de UTI”, disse Andréia.

Para o diretor-geral do HRC, Antônio Fernandes Filho, a implantação do novo método dinamizará os processos de trabalho em saúde de forma a atender a todos que procuram os serviços. “Com o novo método, alcançaremos o aperfeiçoamento do trabalho em equipe com a integração e complementaridade das atividades exercidas por cada categoria e a maior conseqüência disso tudo é o excelente atendimento que retorna para os pacientes da unidade que serão acolhidos de forma humanizada e ainda mais competente”, destaca Antônio Fernandes.
 

Da Assessoria de Imprensa do HRC