Fale Conosco

16 de maio de 2014

Hotéis paraibanos mantêm ocupação média de 73,48% dos leitos no primeiro quadrimestre de 2014



O Setor de Estatísticas da Diretoria de Fomento da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) divulgou, nesta sexta-feira (16), a pesquisa mensal sobre a ocupação hoteleira em João Pessoa e demais cidades turísticas do Estado. De acordo com os Boletins de Ocupação Hoteleira, a Taxa de Ocupação acumulada do quadrimestre no Estado foi de 73,48%, o que representou aumento de 0,69% sobre o mesmo período de 2013. Analisando-se apenas os números de João Pessoa, a taxa de ocupação em abril eleva-se ao percentual de 64,47% dos quartos disponíveis, o que representa um aumento de 0,37% sobre igual mês do ano passado.

Em números, o levantamento aponta que 89.900 pessoas estiveram na capital paraibana ocupando um dos leitos oferecidos pela rede hoteleira instalada, principalmente, na orla e no centro da cidade. No quadrimestre  do ano corrente, o fluxo foi de 413.887 representando um crescimento de 7,51% sobre igual período do ano passado. Em todo o Estado, o acumulado do ano foi de 587.828, um  crescimento de 7,52% sobre o mesmo período de 2013.

A presidente da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), Ruth Avelino, faz uma análise positiva dos números divulgados pela pesquisa mensal. Segundo a executiva paraibana, fica evidente que o ‘Destino Paraiba’ está se consolidado junto aos mercados emissores de turistas e João Pessoa revelou-se uma opção para o turismo de evento. “Se analisarmos em números é um percentual ligeiramente positivo, mas é um crescimento. Por outro lado, a Embratur confirmou que João Pessoa é uma das doze capitais brasileiras que mais recebem eventos de negócios e isso confirma a importância de inaugurarmos nosso Centro de Convenções até o final deste ano”, explicou.

Emissores do Fluxo – A pesquisa do setor de Estatística da PBTur também faz uma análise sobre a origem dos hóspedes dos hotéis paraibanos. Os estados de São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro contribuem com 54,23% da emissão do fluxo. Por regiões houve um aumento de 9,09% na participação do Nordeste; 9,70% na região Sul e 21,08% na região Norte. Quanto ao fluxo estrangeiro, os quatro países que mais contribuíram foram: Portugal(15,38%), Itália(13,64%), Estados Unidos(11,12%) e Argentina(9,44%).