Fale Conosco

28 de maio de 2009

Hospital Regional de Patos avaliará risco de saúde para atender pacientes



O Hospital Regional de Patos Deputado Janduhy Carneiro está implantando o modelo de atendimento com classificação de risco. Nesta sexta-feira e no sábado (29 e 30), a direção apresenta o modelo aos profissionais de saúde e representantes da sociedade. O evento será aberto às 10h desta sexta-feira, no auditório do 6º Núcleo de Saúde, com uma oficina de sensibilização. Nesse novo sistema, o paciente é avaliado logo que chega à unidade e atendido de acordo com a gravidade do problema que apresenta.

A primeira palestra é direcionada a recepcionistas, maqueiros, porteiros e outros profissionais que tem os primeiros contatos com os usuários. À tarde, a mesma oficina será oferecida a outras turmas de funcionários, no Patos Water Play.

Às 19h desta sexta-feira, no Fórum Miguel Sátyro, o coronel Fábio Almeida fala sobre o novo modelo de atendimento em unidades de pronto socorro. Foram convidados juízes, promotores, oficiais de justiça, representantes de ONGs, igrejas, clubes de serviços, associações comunitárias, representantes de classes, prefeitos e secretários de toda a região de Patos, coordenadores da atenção básica e conselhos municipais de saúde.
 
Neste sábado (30) pela manhã, das 9h às 10h, no auditório do Water Play, haverá reunião com todo o corpo clínico, que vai conhecer melhor o atendimento com classificação de risco. Em seguida, será a vez de prefeitos, secretários de saúde e coordenadores da atenção básica de Patos e municípios circunvizinhos ficarem informados sobre as mudanças que estão em fase de implantação no Hospital Regional da cidade.
 
Humanização – A implantação do modelo de atendimento com classificação de risco nos sistemas de urgência e emergência está dentro da política de humanização prevista pelo Ministério da Saúde e tem como meta melhorar o acesso do usuário aos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). Esse modelo busca acolhimento com responsabilidade e resolutividade, dando prioridade às pessoas que apresentem mais riscos.
 
“Esse processo dinamiza o atendimento, identifica o risco, a vulnerabilidade do paciente, considerando as dimensões psicológicas, sociais, subjetivas e biológicas que contribuem para o adoecer”, explicou Paula Maia Gouveia, diretora do Regional.

Na urgência e emergência o usuário receberá a orientação de que os casos mais urgentes terão prioridade e será encaminhado ao setor que necessita. Todos os funcionários vão ser capacitados para atender o prescrito nessa nova política de humanização na urgência e emergência.

Da Assessoria de Imprensa do Hospital Regional de Patos