Fale Conosco

29 de março de 2012

Hospital Regional de Guarabira cria 12 leitos na área de pediatria



Crianças de Guarabira e de outros municípios da região do Brejo Paraibano não precisam mais se deslocar para outros grandes centros em busca de atendimento. Para resolver esse problema, que vinha se arrastando há cerca de dois anos, o Governo do Estado criou 12 leitos pediátricos no Hospital Regional de Guarabira, que é referência para 25 municípios da região e atende mensalmente cerca de 3 mil pessoas.

O diretor geral do hospital, Manoel Edson de Andrade, explicou que antes as crianças eram atendidas no Hospital Maria da Luz, da rede privada, mas desde 2010 a unidade de saúde fechou as portas para o atendimento aos usuários do SUS. Os primeiros passos para resolver o problema foram dados com a inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que disponibilizou dois leitos pediátricos, no entanto, não eram suficientes para atender a demanda.

Sensibilizado com a situação, o Governo do Estado determinou a criação dos 12 leitos pediátricos. Manoel Edson afirmou que o primeiro atendimento é feito na UPA. Se o pediatra perceber que a criança precisa de internação, ela pode permanecer na UPA até 24 horas, mas depois, se for o caso, é encaminhada para o Hospital Regional. “Se o caso não for resolvido nem na UPA e nem no Regional, o paciente será transferido para João Pessoa”, esclareceu o diretor.

Para melhorar o atendimento da população da região do Brejo Paraibano, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, inaugurou no final do ano passado 35 leitos para atendimento clínico. Além disso, o hospital dispõe de seis leitos de UTI, 20 leitos para clínica cirúrgica e realiza semanalmente, sempre às sextas-feiras, seis cirurgias eletivas. O hospital realiza mensalmente 180 atendimentos obstétricos e o mesmo total de partos cesarianos e normais.

O diretor do Hospital Regional adiantou que a partir do próximo dia 9, a população do Brejo vai desfrutar de mais um serviço. Trata-se do programa do Governo Federal para a realização de cirurgias oftalmológicas. “A nossa equipe médica já está pronta para atender aos pacientes”, assegurou o diretor.

Para prestar um serviço cada vez melhor com eficiência e qualidade à população do Brejo, o Governo do Estado investiu cerca de R$ 700 mil, sendo R$ 200 mil só na parte de obras e R$ 500 mil em equipamentos. Foram adquiridas camas automáticas, mesas cirúrgicas e realizados serviços de reforma no centro cirúrgico do Hospital Regional de Guarabira.

O hospital conta com aproximadamente 520 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, e oferece atendimento de urgência e emergência, clínica médica e obstetrícia. A estrutura conta com laboratório, hemonúcleo, banco de leite, serviços de radiologia, serviço de cardiologia, radiologia e ultrassonografia.

Reforço e parceria – Para melhorar o fluxo de atendimento, o Hospital Regional de Guarabira conta com o apoio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que atende a cerca de seis mil pessoas por mês. De acordo com Manoel Edson de Andrade, que responde pela diretoria clínica da UPA, a unidade é a porta de entrada e os casos que não forem resolvidos no serviço são encaminhados para o Hospital Regional e de lá o paciente pode ser transferido para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, se for o caso.

A UPA de Guarabira foi inaugurada no dia 26 de novembro do ano passado. A unidade funciona 24 horas e está beneficiando mais de 200 mil pessoas na região. O Governo do Estado investiu R$ 3,5 milhões na unidade, sendo R$ 2,5 milhões só na parte de obras e R$ 1 milhão em equipamentos.

A UPA conta com quatro médicos plantonistas, equipe de enfermagem e técnicos de enfermagem, equipe para remoção de pacientes, serviços de radiologias, Unidade de Transporte Avançado (USA) e laboratório. A estrutura da unidade conta com sala de raios-X, salas de observação,  adulto e pediátrico, sala de urgência e emergência, sala de sutura, de curativos, aplicação de medicamentos, inalação, coleta laboratorial, assistência e apoio aos consultórios, acolhimento e classificação de risco.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Waldson Dias de Souza, a UPA está contribuindo para a organização dos atendimentos de urgência e emergência e funciona como uma porta de entrada para os atendimentos de urgências pediátricas e clínicas para o hospital de Guarabira e apoio à atenção básica na região.

“É importante destacar que a UPA não é um hospital ou Posto de Saúde da Família (PSF). Ela é um suporte assistencial para urgências e emergências clínicas, evitando que o usuário faça uso dos hospitais de maiores complexidades do Estado, tendo como objetivo resolver mais de 80% dos casos que derem entrada, além de reduzir número de transferência de pacientes, implantando acolhimento com classificação de risco”, disse o secretário.