Fale Conosco

9 de setembro de 2009

Hospital Regional de CG atendeu mais de 10 mil pessoas em agosto



Mais de 10 mil pessoas foram atendidas no Hospital Regional de Emergência e Trauma Dom Luiz Fernandes em Campina Grande no mês de agosto passado. É o que revela o último levantamento divulgado pela Diretoria Técnica da casa de saúde. Ao todo, 10.015 pessoas receberam atendimento naquele mês. O número é inferior ao mês de julho, quando foram realizados 10.056 procedimentos.

A maioria desses casos de assistência foi feita no Setor Clínico, ou seja, 4.568 atendimentos; 1.510 ocorreram no Setor Pediátrico; 2.273 na Ortopedia, 1.110 cirurgias, além de 554 em outras especialidades.

Acidentes – O levantamento, coordenado por Jacira Leal Farias, aponta para um crescimento dos procedimentos envolvendo pacientes vítimas de acidentes com motos. As estatísticas com esse tipo de transporte ainda são altas e preocupam a equipe de ortopedistas do Hospital Regional. Somente em agosto, 272 pessoas deram entrada no setor de urgência e emergência com algum tipo de fratura provocado por esses veículos de duas rodas. A maioria ficou internada. O percentual atinge 27% de todos os procedimentos realizados no mês no hospital.

Se por um lado o número de vítimas de motos é o campeão de atendimentos, por outro os casos de acidentes com carro apresentam queda nas estatísticas. Em agosto, 30 pessoas foram socorridas para o Hospital Regional por causa de acidentes com automóveis, e 26 por atropelamento.

Tiros, facadas e queimaduras
– O levantamento apontou para uma pequena diminuição dos procedimentos envolvendo pessoas feridas por tiros ou facadas. Foram 27 atendimentos feitos a pessoas atingidas por faca e 30 por tiro. Em compensação, os acidentes domésticos subiram: somente a Unidade de Queimados (que é referência no Estado) atendeu 50 pessoas no período com algum tipo de queimadura. A maioria era de crianças e se queimou dentro de casa.  

Intoxicações – Apesar da campanha de conscientização feita permanentemente pelos profissionais do Ceatox, os casos de intoxicações ainda são preocupantes e crescem a cada mês. Em agosto, 124 pessoas intoxicadas deram entrada no Hospital Regional.
Foram registrados ainda 12 casos de pessoas vítimas de acidentes de bicicleta, 31 picadas de cobra, 50 de escorpião, 51 de outros insetos, 53 mordidas de cachorro, 19 por envenenamento e ingestão de produtos químicos, além de 36 agressões físicas.

Geral – Nos últimos oito meses, quase 80 mil pessoas de Campina Grande e mais de 170 municípios do Compartimento da Borborema foram atendidas no Hospital Regional de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes. Em janeiro foram realizados 9.235 atendimentos; em fevereiro, 7.950; em março,  10.553; em abril, 9.920; em maio, 10.333; em junho, 9.456; em julho, 10.056 e em agosto 10.015 atendimentos.

Criado há nove anos, o Hospital Regional é o único em Campina Grande que conta com todas as especialidades e médicos de plantão 24 horas, para assistir usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).
 

Da  Assessoria de Imprensa do Hospital Regional de Campina Gran