Fale Conosco

15 de junho de 2009

Hospital Regional abre campanha para reduzir queimaduras em festas juninas



Por conta do período junino em que crescem os casos provocados por fogos de artifício, bem como pela tradição de acender fogueiras, o Hospital Regional de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, numa ação de sua Unidade de Queimados, deflagrou uma campanha de prevenção a queimaduras. O trabalho é realizado durante todo este mês, como forma de alertar as pessoas para o perigo que é soltar fogos de artifício sem o devido cuidado. Os fogos que embelezam os festejos juninos podem tirar o brilho da festa se não forem bem manuseados.

A Unidade de Queimados já atendeu as primeiras vítimas de queimaduras neste período de festejos. No sábado (13), o estudante Caio Eduardo da Silva, 12 anos, morador do sítio Lago da Viração, zona rural de Salgadinho, foi acender uma fogueira em homenagem a Santo Antônio usando óleo diesel. A vasilha explodiu e o fogo atingiu parte do corpo do estudante, que foi conduzido à Unidade de Queimados onde recebeu atendimento médico e está internado recuperando-se dos ferimentos. A mãe de Caio, a dona de casa Maria Deuracice, disse que havia alertado o filho para o perigo. “Eu pedi a ele para ter muito cuidado”, contou.

Riscos – A exemplo de Caio, muitas pessoas – principalmente crianças – correm o risco de sofrer queimaduras na hora de acender a fogueira, se não houver o cuidado necessário. A coordenadora do setor de queimados, a médica Teodora Araújo, lembra que cerca de 70% das ocorrências fogos de artifícios envolvem crianças. As principais queimaduras acontecem no dia 12, 24 e 28 de junho, respectivamente, vésperas dos dias de Santo Antônio, São João e São Pedro, quando o nordestino mantém o costume de acender fogueiras. 

Por isso, a Unidade de Queimados do Hospital Regional que é referência em todo Estado, está com a campanha educativa. Além da campanha, foi reforçado o estoque de medicamentos para o período junino. Em anos anteriores, as estatísticas chegaram a preocupar os médicos. Em junho de 2008, por exemplo, o setor atendeu 82 pessoas. Desse total, 42 foram vítimas de queimaduras por fogos. No mesmo período de 2007, 55 pessoas deram entrada e dessas 16 queimadas por fogos e fogueiras. Em 2006, a unidade internara 45 pessoas, sendo 17 vítimas de queimaduras por fogueira.

Dicas – A psicóloga da ala de Queimados, Afra Maria Araújo, orienta os pais a tomarem alguns cuidados para evitar que a festa termine em tragédia. Em caso de queimaduras, evitar o uso de medicamentos sem consulta médica e logo a queimadura a pessoa deve procurar imediatamente o Hospital Regional, que é referência em Campina Grande para esse tipo de ocorrência.

Os pacientes não podem usar creme dental, café, açúcar nem vinagre, pois isso prejudica ainda mais o ferimento. Logo que a pessoa for queimada, é aconselhável colocar a área atingida embaixo d’água.

A Unidade de Queimados do Hospital Regional funciona com 24 leitos, sendo 12 reservados a crianças e 12 destinados a adultos.   A equipe do setor é composta por oito cirurgiões plásticos, psicólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas.

Assessoria de Imprensa do Hospital Regional de Campina Grande