Fale Conosco

26 de janeiro de 2015

Hospital de Trauma de João Pessoa realiza palestras sobre Notificação Compulsória da Violência



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do setor de Epidemiologia do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, realizou no auditório da unidade hospitalar, palestra sobre a Notificação Compulsória da Violência Contra a Criança, Adolescente, Mulher e Idoso. O objetivo do debate foi capacitar e sensibilizar os profissionais da instituição de saúde acerca da importância da notificação compulsória das violências domésticas.

De acordo com a coordenadora do setor de Epidemiologia do Hospital de Emergência e Trauma, Leita Carvalho Guerra, o evento chamou a atenção dos participantes para o novo modelo da Ficha de Notificação para Violência Interpessoal/Provocada. “O modelo atual especifica melhor a violência autoprovocada e também a homofóbica contra homens e mulheres de todas as idades, além de contemplar também informações sobre o trabalho escravo infantil, tráfico de pessoas, pessoas com deficiência, indígenas e população LGBT”, explicou.

Para a sanitarista da SES, Ângela Aquino, a notificação dos casos envolvendo violência é de extrema importância para a criação de políticas públicas destinadas para inibir a agressão de outras possíveis vítimas, bem como traçar o perfil do agressor. “Com a notificação preenchida de forma correta pelos hospitais e órgãos que trabalham com vítimas de violência podemos chegar a várias conclusões, entre elas: que tipo de violência e o autor, e como combater de forma concreta outros casos”, afirma.

A psicóloga e sanitarista da Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa, Niviane Ribeiro, explicou que a liberação de recursos para criação de projetos na área de segurança e saúde tem como base os casos que são notificados pelos hospitais, por isso a notificação compulsória é de extrema importância para o Ministério da Saúde.

Quantitativo de notificações em 2014 – Segundo dados computados pelo Setor de Epidemiologia do Hospital de Trauma, cerca de 1.440 notificações foram registradas durante todo o ano passado.