Fale Conosco

23 de novembro de 2015

Hospital de Trauma de João Pessoa realiza palestra em alusão ao Novembro Azul



Durante toda esta semana, o Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, oferece orientações sobre como se prevenir do câncer de próstata e tira dúvidas sobre a doença. Nesta segunda-feira (23), no auditório, foi realizada uma palestra com o médico urologista Emerson Medeiros, o advogado Jonathan Simões e o deputado estadual Ricardo Barbosa. A programação é gratuita e direcionada para toda a família, para que as informações sejam levadas aos homens com os quais convive.

Segundo o urologista Emerson Medeiros, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo mais frequente em homens, após os tumores de pele. “A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal”, explicou.

Emerson relatou ainda que a única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. “Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 40 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir anualmente fazer os exames, que permite ao médico avaliar alterações da glândula”, disse.

Já o advogado Jonathan Simões enfatizou os direitos que as pessoas diagnosticadas com o câncer adquirem e como os pacientes podem encaminhar os seus processos pelas vias legais. “Não queremos que os homens cheguem a esse ponto da doença, mas se chegarem eles precisam saber de todos os direitos que são cabíveis aos portadores de câncer”, finalizou.

O diretor técnico da Instituição, Edvan Benevides, falou sobre a importância da prevenção e do cuidado que os homens precisam ter com a própria saúde. “Os homens só costumam procurar o médico por pressão das mulheres, mas esse preconceito precisa ser quebrado, pois o câncer de próstata quando diagnosticado no início tem cura e pode salvar muitas vidas”, argumentou.

O deputado estadual Ricardo Barbosa deu seu testemunho sobre a doença e parabenizou a instituição por abrir o debate, mesmo não sendo uma unidade de saúde que trata do problema. “Já passei por isso, e escutei muitas pessoas me aconselhando a não revelar a minha enfermidade, mas resolvi contribuir com a sociedade e mostrar que o câncer tem cura e que eu sou a prova viva disso”, finalizou.