Fale Conosco

8 de novembro de 2017

Hospital de Trauma de João Pessoa promove treinamento sobre Cirurgia Segura



Buscando aprimorar as habilidades de seus profissionais e, assim, a qualidade do serviço prestado, o Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena realizou, na tarde da terça-feira (7), duas palestras sobre o protocolo de cirurgia segura. A responsável por ministrá-las foi Andreza Neves, consultora do Núcleo da Qualidade e gestora de riscos da instituição.

Na ocasião, foram entregues cartilhas aos colaboradores, com instruções sobre os procedimentos que devem ser seguidos, desde o agendamento cirúrgico até o período pós-operatório, visando garantir um bom atendimento. “Hoje está sendo muito cobrada a segurança do paciente, dentro dos serviços de saúde, e esse protocolo é um dos que o Ministério da Saúde preconiza. Fizemos uma cartilha, com os principais focos, que vai seguindo o fluxo do protocolo, para orientar melhor o pessoal da assistência, envolvendo não só o bloco cirúrgico”, afirmou a palestrante.

E embora o treinamento seja voltado para os profissionais, as informações passadas em eventos como esse têm também como objetivo beneficiar usuários, como comentou Andreza Neves. “Como o nome já diz, é o protocolo para segurança do paciente, então estamos tentando fazer com que sejam evitados os erros que são evitáveis, porque, assim, podemos ajudar em uma recuperação mais rápida”, disse.

Segundo a enfermeira Janeide Araújo, funcionária da instituição há 16 anos, os protocolos são fundamentais durante o atendimento. “Com os protocolos, temos mais condições de assistir o paciente, para que ele possa receber alta mais rápido. Porque enfermagem é estar sempre evoluindo, com um aprendizado cada vez melhor, para que a gente possa dar uma assistência com segurança”, destacou.

Além disso, Ana Valéria Carneiro, também enfermeira, salientou que o conhecimento dessa ferramenta contribui para articulação mais eficaz de todas as equipes da unidade de saúde. “Isso gera melhorias no meu atendimento no bloco cirúrgico, na equipe de enfermagem quando o paciente vai para as enfermarias, para que ele se recupere mais rápido. Tomando essas medidas, a gente consegue em conjunto, ter um resultado melhor, porque é uma sequência, um ciclo”, ressaltou.