Fale Conosco

24 de março de 2012

Hospital de Trauma de João Pessoa é referência em atendimentos com vítimas de queda



O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena registrou de janeiro a dezembro de 2011 cerca de 10 mil entradas de pacientes vítimas de quedas. A unidade de saúde, que é referência nesse tipo de atendimento, registra uma média mensal de 800 pacientes, na maioria crianças com idade entre 0 e 12 anos. Só nos dois primeiros meses do ano já foram registrados mais de 1.500 ocorrências.

Segundo a médica pediátrica Glaceanne Torres, em caso de quedas envolvendo crianças, a observação dos pais logo após o acidente é um fato decisivo para a boa recuperação dos filhos, haja vista a necessidade de atendimento rápido nos primeiros momentos do ato. “A criança ao cair precisa ser acompanhada pelos responsáveis, pois se ela apresentar sinais de alerta como sonolência, desmaio, vômito e convulsão deve ser imediatamente levada ao socorro médico”, alerta a pediatra.

A dona de casa Izabel Bezerra procurou o Hospital de Trauma em virtude da queda sofrida por sua filha Ingrid Bezerra, de 7 anos, no banheiro de casa. “Fiquei muito assustada ao ver minha filha no chão, mesmo ela não apresentando nenhum sinal de gravidade resolvi procurar ajuda médica para ter certeza que estava tudo bem”, explicou.

A pediatra ressaltou que algumas ações preventivas devem ser realizadas pelos pais para que situações graves não venham acontecer. “É muito importante que os pais fiquem atentos aos comportamentos dos filhos. Notamos que muitos bebês dão entrada no hospital vítimas de quedas, e muitas delas poderiam ter sido evitadas, se medidas preventivas tivessem sido adotadas. As crianças não têm a mesma percepção de risco dos adultos, por isso devem ser orientadas constantemente”, observou.

Dicas de prevenção:

1 – As crianças devem brincar em locais seguros. Escadas, sacadas e lajes não são lugares para brincar;
2 – Use portões de segurança no topo e na base das escadas. Caso a escada seja aberta, instale redes ao longo dela;
3 – Instale grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos. As redes devem ter espaços de no máximo 6 cm;
4 – Crianças com menos de seis anos não devem dormir em beliches. Se não tiver escolha, coloque grades de proteção nas laterais;
5 – Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas, pois podem facilitar que crianças os escalem e se debrucem para fora do prédio ou casa. Além disso, verifique se os móveis e o tanque da lavanderia estão estáveis e fixos;
6 – Ao andar de bicicleta, skate ou patins, o capacete é o equipamento fundamental. Ele pode reduzir o risco de lesões na cabeça em até 85%;
7 – Cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes;
8 – Crianças devem ser sempre observadas quando estiverem brincando nos parquinhos. O risco de lesão é quatro vezes maior se a criança cair de um brinquedo com altura superior a 1,5 m.
9 – Durante a troca de fraldas, mantenha uma mão segurando o bebê. Nunca deixe um bebê sozinho em mesas, camas ou outros móveis, mesmo que seja por pouco tempo;
10 – Crianças não devem brincar perto de barreiras e barrancos.