Fale Conosco

15 de outubro de 2012

Hospital de Trauma da Capital realiza “Semana Nacional de Fisioterapia”



O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena deu inicio nesta segunda-feira (15), as comemorações da ‘Semana Nacional de Fisioterapia’ com o tema “Resgatando a Valorização e Reconhecimento Profissional da Fisioterapia: Um Novo Recomeçar”. O objetivo é homenagear os profissionais da área, estimulando a interação e o trabalho em equipe. Atualmente, a unidade de saúde conta  com 65 fisioterapeutas.

Segundo a coordenadora de fisioterapia, Jardênia Marçal, a semana destinada aos fisioterapeutas tem como principais objetivos promover a inter-relação dos profissionais e dos estudantes que cumprem estágios no Trauma; instruindo e incentivando para a valorização do profissional no contexto hospitalar, bem como comemorar o dia do fisioterapeuta. “Nós queremos reunir todos os fisioterapeutas que atuam no Trauma, para proporcionar mais conhecimento e capacitação, bem como momentos de celebração e confraternização”, disse a coordenadora.

Essa é mais uma iniciativa da direção do Hospital de Trauma que destaca a importância dos profissionais de ajudam a construir a unidade de saúde. “Temos compromisso com a valorização da assistência ofertada aos pacientes, reconhecendo, acima de tudo, o bom desempenho de nossos profissionais. É muito importante para todos nós, saber que podemos contar com bons funcionários no processo de reabilitação de nossos pacientes,” destacou o diretor Técnico da unidade de saúde, Edvan Benevides.

A ‘Semana Nacional de Fisioterapia’ será realizada até o dia 19 de outubro, no auditório do Hospital, com palestras e atividades voltadas a capacitação dos fisioterapeutas. O evento é livre para colaboradores, estudantes e convidados. “Vamos aproveitar a semana destinada aos profissionais de fisioterapia para estudar o movimento humano. Afinal, o tem como objetivo promover, tratar e recuperar pessoas que apresentam problemas físicos, sensoriais, mentais, emocionais e sociais que limitam suas atividades e participação na sociedade”, finaliza.