Fale Conosco

29 de outubro de 2012

Hospital de Trauma busca contato com familiares de pacientes sem identificação



A morte do morador de rua identificado como José Rodrigues, 47 anos, reflete um cotidiano no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.  Ele estava internado, desde o começo de outubro, vítima de ferimento por arma branca, e não teve sua família localizada. Todos os dias, pacientes sem identificação ou cujos parentes não são contatados, dão entrada no Trauma, que busca a identificação e o contato com os familiares.

De acordo com a coordenadora do Serviço Social do Hospital de Trauma, Francisca Neuma Ribeiro, muitos pacientes chegam sem documentação e permanecem inconscientes por muito tempo, o que dificulta a identificação. “Muitas pessoas chegam desorientadas ou até mesmo inconscientes e não conseguem dizer onde moram ou fornecer os contatos dos parentes. Alguns chegam até mesmo a ir a óbito e acabam enterradas como indigentes”, explicou, citando o caso de José Rodrigues.

Neuma disse ainda que sempre que um paciente não é identificado, o Serviço Social do hospital busca informações com os responsáveis pelo transporte, contando com a ajuda do Samu, da Polícia Militar e até mesmo dos Postos de Saúde da Família nos bairros, que muitas vezes conseguem descobrir a identidade das vítimas e contatar familiares.

“Também divulgamos as informações sobre estes pacientes nas redes sociais, no Twitter e no Facebook do Trauma e através de nossa assessoria de imprensa, o que normalmente acaba por fazer com que o paciente seja identificado e receba apoio familiar”, completou a coordenadora. Pessoas com parentes desaparecidos podem entrar em contato com o Trauma pessoalmente ou através do telefone 3216-5732.