Fale Conosco

18 de agosto de 2011

Hospital de Cajazeiras recebe setor de Acolhimento por Classificação de Risco



O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), implanta o atendimento humanizado em mais uma unidade hospitalar estadual. No próximo sábado (20), será a vez do Hospital Regional Deputado José de Souza Maciel, em Cajazeiras, com a inauguração do setor de Acolhimento com Classificação de Risco. O evento acontece às 14h, com a presença do governador Ricardo Coutinho, e faz parte da programação de aniversário da cidade.

O sistema de acolhimento com classificação de risco recebe usuários de acordo com o grau de urgência dos atendimentos e atribui cinco cores (vermelho, laranja, amarelo, verde e azul) que determinam o limite máximo de tempo que pode ser esperado.  O acolhimento azul, para pacientes com problemas menos graves, com sintomas como dores de garganta, coriza e tosse; verde, para pacientes com quadro de sintomas mais graves, como febre e dor; amarela para pacientes com quadro clínico de maior urgência, como fraturas ou traumatismos, mas que estejam conscientes; e vermelha para pacientes muito graves, vítimas de acidentes sérios e que estejam inconscientes, por exemplo.

O Hospital de Cajazeiras é o terceiro da Paraíba a receber esse sistema de atendimento, já em funcionamento no Hospital Regional de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Rita.

Estrutura – Duas salas foram reformadas e outras duas foram construídas – essas servirão como porta de entrada do usuário, onde ele será acolhido. Cada uma das quatro cores terá uma sala específica para atendimento, sendo prioritárias as cores vermelha e amarela.  A diretora geral do hospital, Emannuelle Lira Cariri, disse que já foram confeccionados panfletos explicativos e faixas para informar os pacientes sobre o novo sistema de atendimento no hospital.

Segundo a diretora, os pacientes que receberem a cor azul, de casos menos graves, poderão até ser encaminhados para outro serviço, em segurança, como as Unidades de Saúde da Família. “O objetivo do acolhimento com classificação de risco é acabar com o velho sistema de ordem de chegada, dando prioridade aos casos mais urgentes. Mas é bom destacar que todos os pacientes serão devidamente atendidos”, explicou.

Tempo – O coordenador da Rede de Urgência e Emergência da SES, Walber Alves Frazão Júnior, informou que os pacientes que são classificados com a cor vermelha não podem esperar. Os que forem classificados na cor laranja podem esperar até 15 minutos; na cor amarela, podem esperar até 60 minutos; na cor verde, até 120 minutos e, na cor azul, até 240 minutos. “A idéia central para estes casos não emergentes é não haver espera longa e também proporcionar mais contato desses pacientes com as USFs”, explicou Walber Frazão.