João Pessoa
Feed de Notícias

Hospital da rede estadual é pioneiro no monitoramento neurofisiológico intra-operatório no Nordeste

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 - 14:26 - Fotos: 

O Complexo de Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede hospitalar do Estado é pioneiro na região Nordeste no monitoramento neurofisiológico intra-operatório. Na manhã da quarta-feira (11) foi realizado o quinto procedimento cirúrgico desse tipo com sucesso, segundo informou o médico neurofisiologista Alberto Campos. A paciente foi uma criança de três anos. Ele explicou que a cirurgia representa um marco na vida de muitas crianças que nascem com problemas congênitos, podendo, em momento hábil, corrigi-los.

A cirurgia corrigiu um problema na coluna. A anomalia tem como alteração a retração de estruturas neurológicas sendo elas raízes lombares e sacrais e a própria medula. As consequências são: redução do crescimento da coluna (paciente com baixa estatura), alteração anatômica lombo-sacra, lesão das raízes e medula pela retração de estiramento consequentemente distrofia e atrofia de modo assimétrico dos membros inferiores, com incapacidade de deambular de modo correto ou mesmo incapacidade completa.

A cirurgia por si só já é um risco, entretanto risco maior é para o sistema nervoso (medula e raízes) que é a tônica da questão a ser corrigida. A manipulação destas estruturas muitas vezes pode lesar de modo irreversível piorando o quadro clínico consequentemente”, afirmou Alberto Campos.

Monitoramento – Ele explicou que objetivo do monitoramento neurofisiológico intra-operatório espinhal é reduzir ao máximo as sequelas pós operatórias e até evitá-las totalmente. “Através de uma tecnologia denominada interface biológica-digital conseguimos, por meio de um especialista na área médica (neurologista-neurofisiologista clínico), obter sinais do sistema nervoso e analisar de modo instantâneo a presença de sinais danosos e se eles são capazes de lesar de modo leve, moderado ou grave”, explicou.

Ainda de acordo com Alberto Campos, o monitoramento neurofisiológico intra-operatório atende às necessidades de proteção ao sistema nervoso e localização de estruturas nervosas profundas. É indicado em cirurgias neurológicas, ortopédicas, vasculares, cardíacas, otorrinolaringológicas, oftalmológicas e cirurgias de cabeça e pescoço.

Para o secretário de Estado da Saúde, Waldson Souza, a realização de um procedimento cirúrgico com esse grau de complexidade na Paraíba, mostra a preocupação do Governo do Estado em dotar o serviço público de saúde com tecnologia de ponta e profissionais capacitados para que a população paraibana possa desfrutar de um serviço com qualidade e eficiência.

O Governo tem trabalhado com o objetivo de atender às necessidades da população não só na área de Saúde como em outras pastas, a exemplo da Educação, Segurança Pública e Infraestrutura e com isso garantir uma melhor qualidade de vida a todos os paraibanos”, destacou o secretário.