Fale Conosco

14 de setembro de 2012

Hospital Clementino Fraga vai inaugurar centro de tratamento de imunologia



fachado do hospital clementino fraga foto jose lins 3O Hospital Clementino Fraga, que pertence à rede estadual de saúde, se transformará em centro de referência para o tratamento de patologias imunológicas. No dia 21 deste mês o hospital, localizado em João Pessoa, inaugura um centro de imunologia e realiza um fórum nacional abordando a imunodeficiência primária.

O evento servirá como marco para o centro, que tornará o Hospital Clementino Flagra a terceira unidade de saúde como referência dessa patologia no Nordeste. O fórum, realizado em parceria com a Associação Brasileira de Imunodeficiência (ABRI), prosseguirá no dia 22 no auditório do Hotel Tambaú e terá a participação de médicos do Hospital Central e da USP de São Paulo, além de profissionais de outros Estados.

O centro de imunologia terá infraestrutura para testes e internações, além de espaço para estudo e vivencia destinado aos profissionais. O evento é voltado para médicos, enfermeiros e estudantes e as inscrições já estão abertas, podendo ser realizadas pelo e-mail abripb@gmail.com ou pelo telefone (83) 3242-2645/ 9684-1147. Será aberto aos profissionais lotados no Estado e para os demais será cobrada taxa de inscrição de R$ 50,00.

“Quando o Clementino Fraga foi indicado como centro de referência no Estado para avaliação, prevenção, diagnóstico e tratamento de pacientes com história de infecções de repetição, fiquei entusiasmada, pois se trata de um novo serviço que vem para engrandecer ainda mais o hospital. Isso mostra o grande investimento que Governo do Estado vem fazendo”, disse a diretora geral do Hospital Clementino Fraga, Adriana Teixeira.

Imunodeficiências primárias – São patologias comumente genéticas e hereditárias que fazem com que o paciente não seja capaz de desenvolver resposta imunológica adequada às infecções. Não havendo defesa efetiva contra certos grupos de bactérias, fungos ou vírus, o paciente poderá desenvolver infecções de repetição, por vezes graves e debilitantes, deixando sequelas para toda a vida, e, em certos casos, ser vítima de morte precoce.

Há cinco anos, eram cerca de 120 patologias identificadas. Hoje temos mais de 200 imunodeficiências primárias descritas. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são importantes para redução da morbimortalidade e do impacto na qualidade de vida dos pacientes.

Nos Estados Unidos há mais de 250 mil pacientes diagnosticados com imunodeficiência primária. No Brasil, são pouco mais de 2 mil casos registrados, contudo estima-se que entre 120 mil e 150 mil pessoas vivam com algum tipo de imunodeficiência primária no país.

Clique aqui e confira a programação