Fale Conosco

16 de outubro de 2015

Hospital Arlinda Marques recebe doação de 180 livros infantis



O Complexo de Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede hospitalar do Estado, recebeu a doação de 180 livros infantis, além de lápis de pintura. O material foi doado pelo Grupo de Amigos “Eu Amo a Vida”, do município de Mamanguape, que tem a coordenação de Maria Eunice Cabral e Wagner Silva Cunha.  150 livros vão ficar à disposição da Brinquedoteca e 100 foram distribuídos com as crianças internas e as atendidas na urgência.

“Para nós esse é mais um momento importante e de muita alegria em sabermos que estamos realizando mais uma ação social e que, desta vez, está ajudando crianças a suportar a dor das duas enfermidades”, disse  Maria Eunice.

O diretor geral do Hospital Arlinda Marques, Bruno Leandro de Souza, destacou que parcerias como essas são sempre bem-vindas e terão todo apoio do hospital.  “Agora as crianças internas terão mais um instrumento para ajudar a enfrentar o dia a dia do ambiente hospitalar, além de servir para enriquecer ainda mais o aprendizado e despertar o gosto pela leitura”, ressaltou Rivelino Monteiro, coordenador da recepção da urgência do Hospital Arlinda Marques.

Rivelino Monteiro adiantou que todo esse material doado vai ajudar ainda mais nas ações de humanização realizadas pelo hospital. “A leitura infantil é muito mais do que um conto de fadas, é iluminar, é abrir a mente de uma criança e quando você as incentiva a gostar da leitura, você está plantando uma semente que com a certeza dará bons frutos”, comentou.

Outra ação realizada pela coordenação da recepção da urgência aconteceu no último dia 12, quando foi realizada a festa das crianças que foram atendidas na urgência. Houve doações de brinquedos e apresentação de palhaços. Os brinquedos distribuídos com as crianças atendidas na urgência e as internas foram doados pelos funcionários do Hospital e colaboradores.

Sobre o projeto - “Eu amo vida” foi o grito proclamado por um grupo de jovens que decidiu expressar em atitudes o quanto, para eles, o viver é precioso. O movimento consiste em um projeto de campanha e ação social que acontece anualmente em Mamanguape, cidade com 42 mil habitantes, situada no Litoral Norte da Paraíba.

O projeto foi uma idealização da estudante de Jornalismo e de Direito, Maria Eunice Cabral, e do estudante de Medicina, Wagner Cunha, ambos com 24 anos. O “Eu amo vida” conta com a parceria do Hemocentro da Paraíba, o qual todos os anos dispõe parte do material de divulgação e apoia o evento enviando ao local de realização a Unidade Móvel de coleta de sangue. Presente em todo país, o Hemocentro é o órgão responsável pelas doações de sangue e assiste os doadores e receptores, dando suporte e auxiliando nas condições necessárias para a doação.