Fale Conosco

23 de dezembro de 2013

Hospital Arlinda Marques realiza mais uma cirurgia de alta complexidade



O Complexo de Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede hospitalar do Estado, realizou no último final de semana mais uma cirurgia de alta de complexidade. O procedimento foi para correção de coluna em uma paciente do sexo feminino.

De acordo com o neurologista Christian Diniz, chefe do Serviço de Neurocirurgia Pediátrica do Complexo Arlinda Marques, a coluna vertebral pode ser acometida de vários tipos de deformidade tais como as congênitas, idiopáticas e as adquiridas e entre estas as mais frequentes são as curvas idiopáticas. “Quando as curvas escolióticas ou cifóticas atingem altos valores angulares provocam graves problemas ao paciente tais como mudança da anatomia corporal e consequentemente dificuldade para respiração”, explicou o médico.

A doença também pode gerar problemas sociais de inclusão. A prevalência de escoliose idiopática é de 4% a 5% na população sendo mais frequente, entre pacientes do sexo feminino, as curvas de maior valor angular. “Na condução e tratamento destes pacientes há, sem dúvida, a necessidade da abordagem multidisciplinar que envolve médicos como também psicólogos, assistente social, nutricionistas, além de outros profissionais de saúde”, destacou o médico.

Enxergamos no Hospital Arlinda Marques um grande potencial para a constituição de um centro de atendimento e tratamento dessa e outras doenças que envolvem a coluna vertebral”, afirma o médico Julimar Nogueira, ortopedista e cirurgião de coluna.

O neurologista Christian Diniz destacou o procedimento realizado no hospital. “Só estava faltando esta modalidade de correção de deformidades de coluna vertebral para completarmos o rol de procedimentos em alta complexidade em neurocirurgia do hospital. Isto é um ganho imensurável para a nossa população”, destacou o neurologista ao destacar que o Arlinda Marques estará sempre à disposição da população.