João Pessoa
Feed de Notícias

Hospital Arlinda Marques promove carnaval fora de época para crianças e acompanhantes

quinta-feira, 13 de março de 2014 - 17:23 - Fotos: 

A alegria e a descontração tomaram contas de dezenas de crianças internadas no Complexo de  Pediatria Arlinda Marques, que integra a rede hospitalar do Estado. Elas, juntamente com os acompanhantes, participaram na tarde desta quinta-feira (13) do Carnaval Fora de Época promovido pelo Setor de Eventos e Grupo de Trabalho Humanizado (GTH). A festa foi animada pelo Grupo Enfermeiros do Sorriso da Escola Santa Emília Rodat.

Umas das participantes da festa foi Letícia da Silva, de apenas 7 anos de idade. Internada no hospital há quase dois para tratar  de uma hipertensão pulmonar, ela contou que esse é um dos momentos mais felizes da sua vida. “ Brinquei, pulei carnaval e fiz tudo que uma criança gosta de fazer”, disse a menina.

A mãe dela,  Ana Paula da Silva, da cidade  de Catolé do Rocha, afirmou que a felicidade da sua filha é sua também. “Não tem nada mais gratificante do que vê a alegria estampada no rosto de um filho, principalmente nesse ambiente hospitalar onde você só vê dor e tristeza e essas festas deveriam acontecer com mais frequência”, disse a mulher.

Quem também participou da festa foi Maria Eduarda Germano da Costa,  de 10 anos de idade. Ela  está tratando de um abscesso no fígado  e chegou ao Arlinda Marques no dia 2 deste mês. “Eu brinquei, pulei, fiz pinturas e gostei muito da festa, pois eu me senti outra pessoa e até esqueci que estou doente”, disse a garota. A irmã dela, a operadora de caixa Edione Maria da Costa, que mora em Santa Rita,  não conseguiu esconder a alegria e vê  Maria Eduarda brincando e muito feliz com os amigos. “Isso é muito gratificante”, resumiu.

A Pedagoga do Hospital Arlinda Marques, Francisca Varela, foi que coordenou os trabalhos de pinturas alusivas ao carnaval com as crianças. É um momento gratificante tanto para nós como para essas crianças que estão internadas aqui. “Nas oficinas terapêuticas elas brincam e se divertem e por alguns momentos esquecem que estão doentes e isso é muito bom”, destacou a pedagoga.