João Pessoa
Feed de Notícias

Homenagem aos 120 anos do Santa Roza lota o teatro

quinta-feira, 12 de novembro de 2009 - 11:05 - Fotos: 

O Governo do Estado através da Fundação Espaço Cultural celebrou, na noite desta quarta-feira (11), o aniversário de 120 anos do Teatro Santa Roza, em João Pessoa. O vice-governador, Luciano Cartaxo, representou o governador José Maranhão na solenidade de comemoração. O teatro é o mais antigo da Paraíba e o quinto mais antigo do Brasil.

Luciano Cartaxo destacou o valor histórico do teatro para o Estado e a importância de se manter esse patrimônio. “Os 120 anos é uma marca simbólica que demonstra o fortalecimento dessa instituição. Em seu palco já passaram diversos artistas e também a política quando a Assembleia Legislativa da Paraíba foi instalada no teatro, entre 1929 e 1930. É motivo de alegria o Governo do Estado contribuir com a reforma e manutenção desse patrimônio”, finalizou.

O presidente da Funesc, Mauricio Burity, ressaltou a importância do teatro como ícone da cultura no Estado. “O Teatro Santa Roza é o mais antigo da Paraíba e o quinto do Brasil. Nesse espaço de cultura já passaram milhares de artistas de renome nacional e internacional. Preservar esse espaço é manter viva a história da Paraíba”, concluiu.
 
Na solenidade de abertura, a música tomou conta da noite com o cantor, cordelista e rabequeiro Beto Brito, que dividiu o palco do teatro com o cantor e compositor Pinto do Acordeon. Logo depois, a Orquestra Sinfônica da Paraíba subiu ao palco e executou as peças “Marcha Eslava”, de Tchaikowsky, e “Bolero”, de Ravel. A cantora lírica e vice-presidente da Funesc, Ana Gouveia, participou como solista do concerto interpretando as músicas ‘O mio babbino caro”, de G. Puccini, e “O Fantasma da Ópera”, de A. L. Webber.
 
A Orquestra Sinfônica encerrou a noite com a cantora Renata Arruda, na execução das músicas “Foi Deus quem fez você”, de Luis Ramalho, e “Porta do Sol”, de Fuba. O concerto teve a regência do maestro Luiz Carlos Durier. A solenidade foi realizada no palco do Santa Roza e dois telões foram instalados na frente do teatro para o público poder acompanhar toda as atividades da Praça Pedro Américo. A noite foi encerrada com a discotecagem de Carlos Dowling no Bar dos Artistas.

Atividades – As atividades no teatro começaram, no final da tarde, na Praça Pedro Américo, em frente ao Santa Roza, com: performance da Trupe Arlequim e aula pública de balé clássico. Em seguida, às 19h, no hall do teatro, foi lançado o livro “Santa Rosa: Um Teatro de 120 Anos (1889-2009)”, da jornalista e escritora Fátima Araújo, que também é autora da obra “Santa Rosa, Um Teatro Centenário”, lançada na ocasião do aniversário de 100 anos do teatro, em 1989.

A escritora, Fátima Araújo falou da sua satisfação de publicar mais um livro falando da história do Teatro Santa Roza. “O livro foi um convite de Mauricio Burity que aceitei com prazer. Esse teatro é uma das minhas paixões e acompanho durante todos esses anos o progresso das artes cênicas na Paraíba através dos eventos realizadas neste local. O Santa Roza tem uma missão cultural, social e política muito grande”, acrescentou dizendo que ocorreu um erro na grafia do nome ‘roza’, quando homenageou o governador Francisco Gama Rosa, que assinava com ‘s’ e não com ‘z’ como se imaginava.

Uma das grandes surpresas da noite foi o neto do governador Francisco Gama Rosa, que veio para o lançamento do livro. Com o mesmo nome do avô, Francisco Luiz Gama Rosa Neto, nasceu no Rio de Janeiro onde vive até hoje, mas todos os anos vem visitar sua filha que mora em João Pessoa. “Eu acho que o teatro foi uma grande realização para o Estado porque é conhecido no mundo inteiro. Não conheci meu avô, mas meu pai contava muitas histórias dele e o homem humano que ele era”, destacou.

As comemorações, realizadas pela Funesc, começaram no dia 3 deste mês, data da fundação da casa de espetáculo, e prosseguem até o próximo dia 28, encerrando com a XV Mostra Estadual de Teatro e Dança da Paraíba, que nesta edição presta uma homenagem ao Teatro Santa Roza.

Teatro terá novas atividades em 2010

O diretor do Teatro, Roberto Cartaxo, falou da programação que será implantada na Escola de Balé a partir do próximo ano e na promoção de happy hour no Bar dos Artistas. “Estamos promovendo aulas de dança na rua e para ampliar essas atividades vamos começar em janeiro a ministrar aulas de jazz, rip rop, dança flamenca. Continuamos realizando todos os anos o curso de teatro com duração de nove meses. Outra novidade é o happy hour no Bar dos Artistas todos os dias da semana com atrações culturais”, comentou.
           
Depoimentos - O ator Edilson Fernandes, que estudou o curso de teatro na turma de 1975, relatou momentos importantes que presenciou no teatro nesses últimos 30 anos. “Um dos momentos que posso destacar foi quando o ator Paulo Autran esteve aqui, na década de 90, em João Pessoa. Ele apresentou a peça ‘A Tempestade’ de William Shakespeare, na época classificou o Teatro Santa Roza como sendo a melhor acústica do Brasil”, recordou.

O teatrólogo, Fernando Teixeira, falou que o teatro é como a extensão de sua casa e que muitas histórias de fantasmas são contadas pelos artistas frequentadores. “É meu segundo lar e um dos momentos que destaco como interessante foi no golpe militar quando dois diretores daqui de João Pessoa destruíram a exposição de um americano que instalou sua obra no Hall do teatro. Outro registro importante são os  fantasmas que muitos artistas já viram no teatro, entre eles Edinaldo do Egyto e Biu do Boi”, concluiu.
  
O ator da premiada peça ‘Vau da Sarapalha’, Servilio de Holanda, disse que fez o curso de artes cênicas no Teatro Santa Roza, onde começou sua carreira. Considera o teatro um dos maiores espaços artísticos do nordeste, com sua acústica perfeita e sua bela estrutura física.
História do Teatro Santa Roza – Inaugurado no dia 3 de novembro de 1889, pelo governador da Paraíba, Francisco da Gama Rosa.

Com a Proclamação da Republica perdeu seu mandato 12 dias após inaugurar o teatro. Ao assumir o primeiro governante republicano, Venâncio Neiva mudou o nome para “Teatro do Estado”, mas o ato foi revogado e o nome Teatro Santa Roza mantido. Construído no estilo arquitetônico neo clássica, com influência greco-romana e revestimento interno em madeira do tipo Pinho de Riga, comportando 412 assentos. Passou por reformas, mas sua estrutura física não foi alterada.

Programação
          
Programação nesta quinta-feira (12) – Dentro da programação comemorativa, nesta quinta-feira (12) começa às 17h com uma aula pública de dança flamenca na Praça Pedro Américo, em frente ao teatro, onde, logo em seguida, será apresentado o espetáculo “Meidifêra”, uma montagem da Trupe de Teatro Meidifêra, com direção de Ingrid Trigueiro e Ângelo Guimarães.

Já no palco do Santa Roza, a partir das 19 horas, vão se apresentar o Coral Infantil da Paraíba, sob regência do maestro João Alberto Gurgel, e do Coral Sinfônico, regido pelo maestro Tom K. Às 20 horas, o teatrólogo Fernando Teixeira encena o monólogo “Esparrela” e, às 21 horas, o DJ Inocêncio encerra a programação da noite com um show no Bar dos Artistas.

A programação de aniversário do Teatro Santa Roza é retomada na próxima semana, dia 18, com aula pública de balé clássico, apresentação do teatro de rua “Malazarte, Cancão, Trupizupe”, dirigido por Humberto Lopes, do espetáculo de dança “Saída”, da Parangolé Cia de Teatro e Dança; e da peça “Os Sete Mares de Antônio”,– com direção de Tarcísio Pereira, além de show de encerramento com o cantor Flamarion.

Gledjane Maciel, com fotos de Evandro Pereira, da Secom